uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante

Finanças sobre brasas

Bombeiros de Samora Correia têm orçamento de 763 mil euros

O orçamento dos bombeiros de Samora Correia é de 763 mil euros. A construção do novo quartel, a compra de equipamentos e as despesas com pessoal deixam a corporação sobre brasas. A associação insiste na criação do Grupo de Intervenção Permanente.

Edição de 07.01.2004 | Sociedade
O orçamento da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Samora Correia para o novo ano é de 763 mil euros (152 mil contos), quase o dobro do orçamento da freguesia. A direcção prevê que venha a ser um ano de “grandes dificuldades” financeiras se permanecerem os atrasos na transferência de verbas dos organismos da administração central. O orçamento e o plano de actividades foram aprovados por unanimidade na assembleia geral de 27 de Dezembro que contou com pouco mais de uma dezena de associados.A construção do novo quartel, cujo ante-projecto já está aprovado pelo Gabinete de Estudos e Planeamento de Infra estruturas do Ministério da Administração Interna, influenciou a subida dos valores. A criação do Grupo de Intervenção Permanente (GIPE) formado por cinco bombeiros a tempo inteiro em horário laboral também vai pesar no orçamento da associação, embora a maior fatia dos encargos seja suportada pela câmara e pelo orçamento geral do Estado através do Serviço Nacional de Bombeiros e Protecção Civil (SNBPC).O vice-presidente José Ferro anunciou na assembleia que a associação tem pressionado a autarquia para avançar com o GIPE mesmo sem o apoio do SNBPC, mas a autarquia tem colocado algumas reservas que considerou “legítimas”.As maiores fatias do orçamento vão para a aquisição de novas viaturas e equipamentos (250 mil euros) e para os custos com pessoal que ultrapassam os 210 mil euros.A amortização do empréstimo bancário aplicado na compra do terreno para o novo quartel vai custar 75 mil euros e a associação prevê ainda 55 mil euros para o início das obras do novo quartel que deverá acontecer no final do ano.A maior receita da associação resultará de uma tranche da venda do actual quartel e do terreno anexo que deverá render 349 mil euros este ano. Os subsídios do Serviço Nacional de Bombeiros e Protecção Civil e da Câmara Municipal de Benavente prevêem transferências na ordem dos 235 mil euros e os serviços prestados irão render mais de 160 mil euros.Os bombeiros de Samora vão continuar a apostar na formação e na qualidade dos equipamentos para que o seu corpo de bombeiros se mantenha na vanguarda e capaz de responder às solicitações.O presidente da assembleia geral, Carlos Alberto Pernes, anunciou que vai marcar eleições antecipadas para Março. O pedido de demissão do presidente da direcção, Lourenço Merca, justificado com razões profissionais (encontra-se a cumprir uma missão da ONU em Angola), criou um problema legal. Segundo o líder da assembleia, os estatutos da associação prevêem que nestes casos avance o primeiro suplente da lista para o lugar do demissionário, mas o único suplente que restava não aceitou.Os sócios concluíram da necessidade de alterar os estatutos da associação não só neste ponto, mas também noutros que não estão ajustados. Para o efeito será formada uma comissão específica formada por dirigentes e associados.Entretanto O MIRANTE apurou que o actual vice-presidente, José Ferro vai encabeçar uma lista de continuidade e será acompanhado da maioria dos actuais dirigentes.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...