uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante

Segredos de uma vida longa

Hábitos saudáveis são determinantes para atingir a longevidade

A esperança de vida do ser humano continua a aumentar, mas ainda são poucos os que conseguem o feito de dobrar a centena de anos. Uma dieta equilibrada, a prática de exercício físico e o repouso adequado parecem ser alguns segredos da longevidade.

Edição de 07.01.2004 | Sociedade
Depois de 15 horas de sono, Maria Lidónio dos Santos, na frescura dos seus 100 anos, prepara-se para o pequeno-almoço. Na mesa de família, em Fazendas de Almeirim, espera-a uma chávena de café, adoçado com três colheres de sopa de açúcar, e uma torrada de pão caseiro.A alimentação é um dos grandes trunfos da anciã, nascida e criada no campo, que em Agosto dobrou a fronteira de um século de vida. A partir dos 30 anos, depois de saber que tinha problemas intestinais, Maria Lidónio iniciou uma rigorosa dieta que nunca mais largou. As sopas de legumes e de carne, cozinhadas em azeite, são a base da sua alimentação. Só ao almoço toma uma refeição de garfo e faca, normalmente à base de peixe. Há muito que baniu a carne de porco, a sardinha e a vaca. O arroz doce é o único desaire que comete.Tem um coração de ferro, uma tensão arterial inalterável e não sente dores nos ossos. Os únicos comprimidos que ingere são naturais e têm como única função regular o funcionamento dos intestinos. “Quando a levamos ao hospital os médicos acham-lhe graça e não lhe receitam nada”, contam as netas.Especialistas de todo o mundo são unânimes em afirmar que a alimentação equilibrada é uma das grandes receitas para uma vida longa e saudável. Recomendam-se as frutas, lacticínios, peixe e tomate, alimentos que ajudam na prevenção do cancro e são eficazes na redução de problemas como a hipertensão e as doenças cardiovasculares.Dispensar o álcool, os cigarros e as drogas e adoptar um estilo de vida saudável longe do ‘stress’ são outras condições que garantem uma vida longa. Em alguns casos mais do que a simples herança genética.Algumas experiências já demonstraram também que a prática desportiva pode prolongar em vários anos a esperança de vida. É considerada pelos especialistas como o melhor remédio anti-envelhecimento.A prática de exercício físico foi também a grande fonte de vitalidade do conhecido médico oftalmologista Joaquim Isabelinha, que aos 95 anos mantém a sua actividade profissional no seu consultório em Santarém.Começou cedo a praticar ginástica e nos tempos de liceu iniciou-se no salto à vara, em altura e em comprimento. Mesmo nas férias não dispensava o exercício físico. Foi jogador de futebol nos “Leões” de Santarém e a paixão pelo desporto levo-o a escolher Coimbra para frequentar o curso de medicina. Na cidade dos estudantes, durante os anos 30, vestiu a camisola da Académica de Coimbra de corpo e alma.O descanso adequado e a luta contra o ritmo alucinante da actualidade são outras das sugestões dos especialistas. Joaquim Isabelinha deixa a receita da sua longevidade: “Aconselho uma vida regrada e sem grandes violências”.Mas para vencer a velhice não basta trabalhar para manter a saúde física e seguir uma alimentação cuidada. A sociabilização é uma das condições para viver mais. Os especialistas defendem que a capacidade de convivência social, que leva as pessoas a sentirem-se úteis, é decisiva.O médico é exemplo de que a actividade intelectual e o compromisso de aprendizagem constante podem ser determinantes para uma vida longa. Perto do sofá onde repousa multiplicam-se os livros de história que Joaquim Isabelinha consome intensamente nos tempos livres. Ana SantiagoMaria de Jesus é uma das anciãs de PortugalA caminho dos 111 Aos 110 anos, Maria de Jesus é uma mulher independente. Pratica ginástica, cuida da sua higiene diária e até há pouco tempo conseguia enfiar a linha na agulha e coser as suas próprias roupas.Antes de sorver as sopas de leite que a filha, 79 anos, prepara carinhosamente Maria de Jesus inicia a sua ginástica matinal. Movimenta os braços em círculos e toca com as pontas dos dedos nos pés. Mais do que à herança genética, a saúde de ferro de Maria de Jesus deve-se ao estilo de vida saudável que sempre adoptou. Consome peixe toda a semana e só ao domingo se banqueteia com carne. Come laranjas todo o ano e ao lanche não dispensa uma fatia de pão com requeijão.Maria de Jesus é o exemplo de que se pode viver muitos anos com uma excelente qualidade de vida. Nasceu numa pequena aldeia do concelho de Ourém, mas vive há muitas décadas no ambiente campestre da localidade de Corujo, freguesia de Madalena, concelho de Tomar. Antes de casar trabalhou arduamente na monda do arroz na zona de Benavente e sobreviveu ao nascimento dos cinco filhos, todos com diferenças de dois anos de idade.O segredo de uma vida longa revela-o prontamente: “É Nossa Senhora de Fátima”. A 14 de Setembro deste ano irá completar 111 anos de vida. Está apenas a três anos de atingir o recorde do Livro do Guiness que actualmente é ocupado pela alemã Charlotte Benkner, 113 anos, que vive em Ohio, nos Estados Unidos.A anciã, que adoptou a nacionalidade americana, ocupou o lugar depois da morte da japonesa Mitoyo Kawate, que faleceu em Novembro de 2003 com 114 anos. Para a história da longevidade ficará a francesa Jeanne-Louise, a mulher mais velha de sempre, falecida em 1997 com 122 anos.Os 10 mandamentos da longevidadePraticar exercício físico, manter uma alimentação saudável, controlar a tensão e a diabetes, eliminar o stress e evitar o álcool e tabaco são alguns dos segredos para atingir uma vida longa e saudável.Esta é a receita indicada pelo médico de clínica geral do Hospital de Torres Novas, Rui Gil, um interessado pela área de geriatria (medicina dos idosos), que há mais de vinte anos contacta com a população mais antiga do concelho. O médico adverte no entanto que muitos conseguem atingir a longevidade tão só porque possuem já uma predisposição genética. “Se os pais de determinado paciente viveram mais ele terá mais esperanças de vir a morrer mais tarde”, analisa.Apesar do peso dos genes ser determinante o estilo de vida que cada um adopta também pode ser decisivo. Na alimentação há que evitar o açúcar em demasia, o sal e as gorduras, os grandes responsáveis pela hipertensão e doenças cardiovasculares.Mas o caminho também não passa por viver a vida com regras demasiado rígidas. “Isso pode criar algum stress e ansiedade o que também não é benéfico”, revela.Na opinião do médico têm que ser respeitados princípios básicos e evitados os abusos, mas não há receita mágica para viver muitos anos. “Quando se descobrir o gene que provoca o cancro talvez se possa aumentar ainda mais a esperança de vida”.Os problemas que afectam as pessoas em idade avançada são sobretudo as doenças cardíacas, acidentes vasculares cerebrais, complicações pulmonares e fracturas ósseas. O avanço da medicina permite aumentar cada vez mais a esperança de vida, mas Rui Gil considera que a sociedade não está ainda preparada para as consequências do envelhecimento da população. Os hospitais estão repletos de idosos em internamento, há falta de hospitais de retaguarda e poucos médicos fazem serviços ao domicílio. Uma situação que talvez ajude a explicar a falta de médicos especializados em geriatria no nosso país.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...