uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Sardinhas em lata

Sardinhas em lata

Sobrelotação na carreira entre Foros de Benfica e Almeirim preocupa alguns utentes

O autocarro que faz o percurso matinal entre Foros de Benfica e a cidade de Almeirim anda normalmente superlotado. Alguns utentes, sobretudo jovens que estudam na sede de concelho, estão preocupados com as condições de segurança.

Edição de 14.01.2004 | Sociedade
Alguns passageiros do autocarro 4242 da Rodoviária do Tejo temem pela sua segurança. A carreira que faz o percurso, de cerca de 16 quilómetros, entre Foros de Benfica e Almeirim circula, geralmente, em condições de sobrelotação. Atendendo a que a maioria dos utilizadores deste serviço são crianças e jovens que estudam nas escolas de Almeirim, há quem ponha em causa as condições de segurança e as eventuais consequências em caso de acidente. A empresa de transportes reconhece que em alguns períodos há problemas e já começou a corrigir a situação. Na segunda-feira, dia 12, quando o autocarro articulado, a que geralmente chamam lagarta, chegou à paragem de Cortiçóis, freguesia de Benfica do Ribatejo já os 47 lugares sentados estavam cheios. Nos corredores do autocarro, a lotação de 72 pessoas estava perto de ser atingida. Com a entrada de mais de uma dezena de passageiros naquela paragem o veículo transformou-se numa autêntica lata de sardinhas, onde o espaço mal dava para mexer um braço. Ao longo do percurso de vinte minutos, na maior parte feito pela Estrada Nacional 118, muitas das crianças tentavam agarrar-se aos bancos e aos varões. As pegas no tecto do autocarro estão bastante altas e são de difícil acesso aos mais pequenos. Numa situação de risco, três rapazes viajaram o tempo todo encostados à porta do veículo. Bastava haver uma anomalia té-cnica ou que alguém inadvertidamente carregasse no botão de abertura para que fossem projectados para a rua. Gonçalo Vital era um dos utentes que viajava no autocarro. O jovem residente em Cortiçóis e estudante na Escola Secundária Marquesa de Alorna, em Almeirim, é um dos queixosos. Diz que a carreira das 07h30 em direcção a Almeirim e a das 17h00 desta cidade para Foros de Benfica chegam a levar 102 pessoas de pé, o que ultrapassa a lotação permitida. Em conjunto com mais três utentes do transporte público, Gonçalo Vital apresentou uma reclamação por escrito à Direcção Geral dos Transportes Terrestres. Na carta, enviada no princípio de Dezembro, é dito que o autocarro “não oferece condições de conforto e, principalmente, segurança aos utentes”. Até agora aquele organismo ainda não respondeu às queixas. Quem também está preocupada com a situação é Constança Lucas. Apesar de raramente utilizar aquele meio de transporte, a moradora em Cortiçóis teme pela integridade física da filha. “As crianças vão completamente enjauladas no autocarro. A confusão é tanta que chegam a roubar coisas das mochilas uns dos outros”, sublinhou. “No ano passado, devido a um carro que se atravessou à frente do autocarro, o condutor teve que fazer uma travagem brusca. As crianças caíram umas em cima das outras. Se tivesse havido um acidente as consequências podiam ser graves”, acrescentou Constança Lucas que muitas das vezes opta por ir a Almeirim buscar a filha à escola com medo que aconteça alguma tragédia. O director operacional da área de Santarém da Rodoviária do Tejo (RT) reconheceu que em horas de ponta podem acontecer alguns excessos. Orlando Ferreira disse ainda que é possível que algumas crianças não cheguem às pegas e que deste modo tenham dificuldade em agarrar-se. Mas ressalvou que a empresa está autorizada a fazer o percurso com lugares de pé. “Compreendo que os pais das crianças queiram que os filhos vão sentados, sobretudo se forem pequenos. Mas isso tem a ver com a organização das pessoas dentro do autocarro”, disse o responsável da RT. E acrescentou que “as empresas de transporte tentam ir até ao limite da lotação permitida por lei garantindo no entanto as condições de segurança”. Orlando Ferreira adiantou que pôr mais um autocarro no mesmo horário significa colocar também mais um motorista, o que representa um investimento elevado. Nesse sentido, garantiu que já foram estabelecidos contactos com as escolas no sentido de se tentar alterar o horário de entrada das crianças, criando dois períodos de início das aulas diárias. Entretanto a Rodoviária do Tejo já colocou um segundo autocarro às 17h00 no percurso de Almeirim para Foros de Benfica. E está a estudar uma solução para o horário da manhã. Orlando Ferreira explicou também que este tipo de autocarro é para abater ao efectivo, pelo que se está a avaliar uma forma de reformular a carreira em questão. A equipa de fiscalização da RT está também a acompanhar os serviços da manhã neste percurso para avaliar se existem problemas.
Sardinhas em lata

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...