uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante

Santarém — fim de balanço

“São os pequenos acontecimentos diários que tornam a vida espectacular”(William Shakespeare)

Edição de 21.01.2004 | Opinião
O melhor de 2003 (parte III)Instituições do ano (por sectores) – conclusãoCULTURARealço a candidatura de Santarém a “Capital Nacional da Cultura”, apresentada pela autarquia, bem como os progressos verificados, em sede própria, no âmbito das pretensões patrimoniais da cidade junto da UNESCO.A Fundação Passos Canavarro, o Centro Cultural Regional de Santarém, o Círculo Cultural Scalabitano e a “Música Nova” de Pernes merecem ser apontados como instituições modelo, à semelhança das que já destaquei na primeira parte desta crónica.DESPORTODuas equipas (iniciados e juniores) da Académica de Santarém ascenderam, pela primeira vez, no seu historial, a campeonatos nacionais de futebol. Ainda nesta modalidade, a “Briosa” somou três títulos distritais (infantis, juvenis II e juniores), enquanto que na pesca desportiva foi vice-campeã nacional por equipas. O Gimno Clube proporcionou novos recordes a Santarém, tanto em ginástica geral, como em trampolins e em tumpling: 55 primeiros prémios individuais e colectivos, com destaque para a “medalha de ouro da Taça do Principado das Astúrias” (Oviedo-2003). A estas duas organizações juntou-se o clube Santarém Basket que venceu a taça de Portugal e alcançou o segundo lugar no campeonato de basquetebol feminino. Por sua vez, a equipa masculina deste clube foi a vice-campeã da segunda divisão nacional da referida modalidade.Recorde-se que o processo de regeneração encetado pela Associação Académica está a resultar em pleno. A criação do GERAS - Grupo de Etnografia, Estudos Regionais e Artes Tradicionais de Santarém, por iniciativa da “Briosa”, confirma este ciclo regenerativo, que também se estende ao segmento da cultura. Na União Desportiva de Santarém, é inegável o esforço dos seus dirigentes visando o cumprimento das metas de reestruturação e de dignificação do clube de referência na nossa cidade. A parceria estabelecida com a Académica já permitiu acumular importantes sinergias para as duas instituições e reforçou, inequivocamente, o peso de Santarém no sector desportivo.CONSULADOJoaquim Botas Castanho, cônsul do Brasil em Santarém, liderou um processo de legalização de 400 emigrantes de “terras cabralinas” no nosso país (período de 11 de Julho a 8 de Setembro de 2003).A data de 11 de Julho (2003) corresponde à chegada do Presidente Lula da Silva a Lisboa para a sua primeira visita de Estado ao nosso país. A exclusão de Santarém do seu programa remete o nosso pensamento para as duas visitas que o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso efectuou à nossa cidade (em 1998 e em 2000), durante o anterior mandato autárquico.IGREJAGraças ao incansável labor das populações da Chã de Baixo e do Outeiro de Fora (freguesia de Pernes), a Igreja de S. José ficou concluída na Primavera de 2003. Obras com tal dimensão resultam invariavelmente da dádiva de muitos beneméritos. No entanto, é forçoso distinguir quatro nomes: Padre Carlos Ramos, presidente da respectiva comissão fabriqueira; Adélia Reis Veneno, tesoureira; Francisco José Viegas, líder da freguesia; e Manuel João Frazão, presidente do centro cultural daquelas duas povoações pernenses.POLÍTICAO ano de 2003 entrará para a história do PS, dadas as eleições para a “Comissão Concelhia de Santarém”. Tanto Manuel Afonso, que saiu claramente vitorioso, como Carlos Manuel Gestal e Ricardo Martinho do Rosário conseguiram um feito até então impensável: apresentaram três listas a sufrágio. A dificuldade de tão ampla participação política reside no número considerável de militantes que envolve – cerca de 200 candidatos. Já sublinhei (nas minhas crónicas) o relevante papel da JS no concelho de Santarém. A regra da imparcialidade dita que, também hoje, o faça relativamente à qualidade das iniciativas políticas da Secção da JSD, presidida por Cláudio Sarmento, e onde militam outros quadros como Nuno Félix e Ricardo Gonçalves. Nuno Castelo Branco deixou esta estrutura política por ter atingido (em 2003) o limite de idade.Aqui bem perto, Pedro Ribeiro, Vereador de Almeirim, ganhou, com margem confortável de votos, a presidência da Associação Nacional de Jovens Autarcas Socialistas. José Sousa Gomes, líder daquele município, venceu a eleição para o cargo de Presidente do Conselho da Região de Lisboa e Vale do Tejo.O pior de 2003Em Santarém, o pior de 2003 escreve-se com uma palavra: incêndios. De todos os lesados, neste município, as maiores razões de queixa pertencem ao Clube Desportivo Amiense que, num ápice, viu as chamas devorarem o seu recém estreado campo de relva sintética.Sete preocupações finais: o acentuado acréscimo do desemprego; os deslizamentos do subsolo nas encostas da cidade e suas consequências na (des)estabilização das muralhas; a poluição do rio Alviela; a inexistência de verbas para o novo Centro de Saúde de Santarém; a ruína iminente de parte substancial do Mouchão de Pernes; o estado a que chegaram as finanças locais; e a proposta de desmembramento do nosso concelho por desanexação da freguesia do Pombalinho.Post ScriptumPROPAGANDAEsta sociedade de colectivos, de massas e de modas tem-nos oferecido tantas e tamanhas surpresas que é legítimo duvidar se o seu nível cultural tem acompanhado as vertiginosas transformações do nosso tempo.Fachadas sem qualquer significado recebem, ali e acolá, numerosos visitantes, no seguimento de eficazes campanhas de propaganda.Aparentemente, ao progresso económico nem sempre tem correspondido uma capacidade de escolha assente em critérios de qualidade e de valor intrínseco – ir onde “mandam” as campanhas parece ser a moda!Lugares sem o menor interesse histórico ou paisagístico ascenderam (pelo mundo fora) à classe de centros de “turismo cultural”, enquanto que outras paragens pletóricas de heranças culturais e arquitectónicas quase passam despercebidas.O caso de Santarém é paradigmático: houve, no actual mandato, um aposta notória em propaganda (mais de 110 mil contos gastos em dois anos, ou seja, cerca do dobro comparando com o mandato anterior), mas os resultados ainda se situam muito aquém do que seria aceitável, de acordo com as apreciações já efectuadas, tendo em conta o real valor da cidade e do concelho.A questão é simples: com o actual sistema de propaganda, os resultado e os preços são os já conhecidos – se quiserem resultados diferentes, só mudando o sistema!Santarém, 9 de Janeiro de 2003

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...