uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante

Atral Cipan vai alargar instalações

Edição de 28.01.2004 | Economia
A Atral-Cipan, unidade que se dedica ao fabrico de produtos farmacêuticos em Castanheira do Ribatejo, concelho de Vila Franca de Xira, vai construir uma nova estação de pré-tratamento de águas residuais e pretende alargar a sua área de intervenção.Dado que o espaço está inserido numa zona de Reserva Agrícola Nacional (RAN), a empresa teve de solicitar uma alteração em regime simplificado do Plano Director Municipal (PDM). A pretensão da Atral-Cipan foi aceite na reunião do executivo, no dia 21 de Janeiro, mas os eleitos da CDU abstiveram-se por considerarem que a pretensão deve ser enquadrada em sede de revisão do PDM, cujo processo já está em fase de preparação.O vereador Alves Machado alertou para o facto da empresa crescer em direcção ao Bairro da Atral-Cipan e defendeu que o alragmento lateral seria mais vantajoso. O autarca comunista lembrou que a unidade trabalha com produtos sensíveis e tem alguns impactes a nível ambiental. “Faz todo o sentido esperar pela revisão do PDM para analisar a situação. Este crescimento para junto do bairro pode criar uma situação delicada”, disse.A presidente da câmara, Maria da Luz Rosinha (PS), lembrou que já aconteceu uma explosão na fábrica, sem ferimentos graves, e frisou que se a empresa se pretendesse instalar agora naquele local não poderia porque é uma zona de RAN, onde não são permitidas construções e indústrias.Mas a Atral-Cipan, multi-nacional com 56 anos de existência e uma posição de topo no mercado farmacêutico, já está em Vila Franca de Xira há mais de 30 anos e todas as bancadas sublinharam a sua importância no contexto municipal, nacional e até internacional. “É uma empresa de grande dimensão e os esclarecimentos dos responsáveis deixa-nos descansados”, disse Rui Rei, vereador do PSD para justificar o voto favorável sem reservas.Os responsáveis pelo funcionamento da unidade estiveram presentes na discussão política da proposta. Na reunião anterior, João Faria já tinha explicado ao executivo que a Atral-Cipan encomendou um estudo de impacte ambiental a duas empresas estrangeiras e com grande cotação no sector. O responsável explicou ainda que a estação de tratamento de águas residuais terá de ser licenciada pela Direcção Geral do Ambiente.Quanto ao alargamento da unidade, João Faria explicou que é inevitável e urgente. A solução apresentada é, segundo o responsável, a única viável depois de terem falhado as negociações para a compra de terrenos em redor da unidade. “Os vizinhos só querem vender grandes parcelas e a preços exorbitantes”, disse. A empresa adquiriu três hectares para poder construir uma nova ligação entre o Bairro da Atral-Cipan e a fábrica.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...