uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Uma jornada proveitosa

Uma jornada proveitosa

Governador civil visitou o concelho do Entroncamento

A visita do governador civil de Santarém ao Entroncamento, em que Mário Albuquerque se fez acompanhar de dirigentes de vários organismos estatais, permitiu deixar algumas boas novidades para várias entidades e instituições do concelho.

Edição de 28.01.2004 | Política
O presidente da Câmara Municipal do Entroncamento, Jaime Ramos, ficou “satisfeito” com o resultado da visita do governador civil de Santarém, Mário Albuquerque, ao concelho, na quinta-feira, dia 22, mas lamenta a notícia do adiamento na construção do jardim de infância na zona norte da cidade. “Sabíamos que neste momento não há verbas para as escolas, mas também sabemos que estamos na crista da onda e quando houver disponibilidade o Entroncamento terá um jardim de infância na zona norte. Para mim saber que há crianças em lista de espera é uma preocupação”. As visitas do governador civil de Santarém, pelos vários concelhos do distrito, têm-se revestido de mais interesse do que à partida se poderia supor. Com o governador viajam os responsáveis dos diversos serviços desconcentrados do Estado e os presidentes de câmara têm hipótese de reclamar e expor os seus problemas.“Dificilmente um presidente de câmara conseguiria reunir tantos responsáveis numa só reunião”, frisou o governador Mário Albuquerque na abertura da visita ao Entroncamento, o 13.º concelho a ser visitado pelo representante do Governo no distrito. E acrescentou: “Estas visitas são também importantes porque vamos ao encontro dos problemas e eu sei, porque também fui autarca, das dificuldades dos presidentes de câmara”.A visita começou com uma sessão de trabalho no salão nobre dos paços do concelho, em que o presidente Jaime Ramos apresentou os maiores problemas do concelho. Depois foi a vez dos responsáveis distritais apresentarem as suas respostas e da parte da tarde foi feita a visita ao concelho.Educação, saúde, desporto, segurança, transportes urbanos e paróquias foram os assuntos frisados pelo presidente da câmara, alguns dos quais já mencionadas (ver textos nesta edição). E à excepção das escolas e do aumento dos efectivos policiais, as respostas foram positivas. No desporto, por exemplo, o delegado distrital de Santarém do Instituto de Desporto de Portugal propôs ao presidente a construção de um complexo de ténis e não de apenas dois courts, mas Jaime Ramos não quer “dar passos maiores do que as pernas”.Aos pedidos de ajuda dos párocos das duas paróquias do concelho, o governador respondeu que iria fazer todos os esforços para obter financiamentos que viabilizem os projectos. O padre António Vicente, responsável pela paróquia de S. João, quer levar por diante o arranjo do adro e a remodelação do centro paroquial, enquanto o padre José Luís Borga pede apoio para os arranjos da área envolvente à igreja de Nossa Senhora de Fátima.O delegado distrital do Instituto Português da Juventude, Paulo Tavares, prometeu a construção de um espaço jovem no Entroncamento, onde a população com idade inferior a 15 anos é percentualmente superior à população com mais de 65 anos. Por este motivo também, a responsável distrital pelo Instituto da Droga e da Toxicodependência, Isabel Baptista, tenciona implantar algumas medidas preventivas para que os “jovens cresçam de forma saudável”.Por seu turno, o director do Centro de Emprego de Torres Novas, António Lopes, a que o Entroncamento pertence, anunciou a criação de um posto da UNIVA (Unidade de Inserção na Vida Activa). “Os desempregados do Entroncamento representam 20 por cento do total de inscritos no Centro de Emprego. Na sua maioria são jovens com habilitações literárias de nível médio e superior”, caracterizou António Lopes.Entroncamento quer mais políciasO presidente da Câmara Municipal do Entroncamento, Jaime Ramos (PSD), pediu, ao comandante distrital da PSP, superintendente Vaz Antunes, mais efectivos policiais para o seu concelho, como medida preventiva. “Vale mais prevenir do que remediar. Não somos um concelho problemático, mas a nossa população está em constante crescimento e poderemos vir a ter problemas”, afirmou o presidente.No entanto, até ao final do Campeonato da Europa 2004, não haverá qualquer hipótese de satisfazer o pedido do presidente Ramos. “Não vale a pena pensar nisso, depois de Junho, quando acabar o Euro 2004, se recebermos mais efectivos equacionaremos o assunto”, esclareceu Vaz Antunes.No ano transacto registaram-se no Entroncamento, que tem 22 mil habitantes, 358 ocorrências, o que para as estatísticas policiais demonstra que se trata de uma cidade calma. O aumento do número de efectivos não é reclamado pelo comandante da esquadra local, sub-comissário Celso Marques: “Se houver algum problema grave temos sempre hipótese de pedir efectivos de outros locais”.A nível distrital foram criadas por Levy Correia, anterior comandante da PSP, as chamadas brigadas de intervenção rápida (BIR), que a qualquer momento podem ser mobilizadas para qualquer ponto do distrito.
Uma jornada proveitosa

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...