uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante

Rubenilson a falhar e a marcar

Tramagal vence Marinhais e afasta-se da zona de despromoção

Rubenilson foi o homem do jogo no Tramagal – Marinhais. Marcou o golo solitário que deu a vitória à equipa da casa, enviou uma bola ao poste logo no primeiro minuto do jogo e falhou duas oportunidades escandalosas com a baliza aberta. A vitória do Tramagal foi justa, num jogo onde Tamandaré também esteve em evidência.

Edição de 07.04.2004 | Desporto
Com o final do campeonato cada vez mais próximo, os jogos entre as equipas que estão a lutar pela permanência transformam-se quase em finais, com os nervos a tirarem lucidez aos jogadores. O Tramagal – Marinhais foi um exemplo claro de como o nervosismo pode afectar o desempenho dos atletas, que chutaram por três vezes ao poste e falharam dois golos de baliza aberta.Rubenilson, jogador que começou a época no Benfica do Ribatejo e que em Dezembro se transferiu para o Tramagal, foi o atleta em destaque neste particular. A sua “saga” começou logo no primeiro minuto do jogo, quando desviou para o poste um cruzamento bem medido de Tamandaré, um avançado com valor para outros voos, que não o distrital.O Marinhais respondeu pouco depois. Aos dez minutos Valdo, livre de marcação em posição frontal, rematou em jeito a rasar a barra, dando sequência a um bom movimento ofensivo da sua equipa.A primeira parte foi equilibrada, com a bola dividida pelos dois meios campos, mas sem grandes oportunidades. O Tramagal tinha um ligeiro ascendente, muito por acção da dupla Tamandaré e Rubenilson.Por volta da meia hora, a equipa da casa teve duas boas oportunidades, primeiro, aos 27 minutos, com Luís Lopes a levar a bola à trave da baliza do Marinhais, num cruzamento, que quase dava golo. Quatro minutos depois Bruno Lopes chutou de primeira, mas Tiago defendeu de recurso para canto, mantendo a sua baliza inviolada.Percebendo que faltava um pequeno “click” para a sua equipa chegar ao golo, ao intervalo o treinador do Tramagal, Gabriel Barra, deixou nos balneários Bruno Lopes e Manito e fazendo entrar Jefferson e Grácio. Ao mesmo tempo, mandou avançar Rubenilson que passou a jogar mais perto de Tamandaré, aproveitando assim as suas primorosas assistências.Mas seria Pedro Lourenço o primeiro a desperdiçar um passe de morte do possante avançado brasileiro, logo aos cinco minutos do segundo tempo. Sozinho frente a Tiago, rematou fraco à figura.Aos treze minutos, Rubenilson interceptou um atraso da defesa para o guarda-redes, tirou o guardião do caminho e, com a baliza escancarada à sua frente, rematou às malhas laterais. Os colegas e os adeptos nem queriam acreditar. Pouco depois, o mesmo jogador introduziu a bola na baliza, mas o árbitro anulou o lance, segundo deu para entender por falta cometida sobre o guarda-redes.O Tramagal dominava o jogo e remetia o Marinhais para a defesa, mas construindo rápidos contra-ataques. Aos 27 minutos, após um canto, a defesa da casa esqueceu-se de Correia, que tinha entrado quatro minutos antes e aproveitou o facto de estar sozinho ao segundo poste para rematar ao ferro da baliza de Paulo Rosado. Foi então a vez dos jogadores visitantes levarem as mãos à cabeça.O golo da equipa da casa surgiu à entrada para os últimos cinco minutos do jogo. Desta vez Rubenilson respondeu bem a um cruzamento da esquerda e desviou do alcance de Tiago. Foi um golo que o Tramagal já justificava, mas que demorou a aparecer.O trio de arbitragem chefiado por Marco Francisco teve uma actuação regular. No final do jogo, João Pedro e Marinho ainda se envolveram em picardias, rapidamente sanadas pelos colegas de equipa.Treinador do Tramagal refere as dificuldades do clube mas diz que fica até ao fim“Há muito tempo que não sou treinador mas um amigo”Mesmo após a vitória sobre um adversário directo na fuga pela despromoção, que colocou a sua equipa cinco pontos acima da linha de descida, o treinador do Tramagal, Gabriel Barra, não alinha em euforias e lembra que o campeonato ainda não acabou. O técnico alerta para as dificuldades financeiras do clube, que tem subsídios em atraso aos atletas e técnicos, mas garante que vai ficar até ao fim. “Temos de fazer tudo para que o clube saia dignificado. Temos de saber sair disto. Eu estarei até ao fim. Não quero chegar ao Tramagal daqui a dez anos e que as pessoas me apontem o dedo por isto ou aquilo”, referiu.“Já há muito tempo que não sou treinador mas um amigo e um gestor dos recursos humanos. O clube vive com dificuldades. Temos algumas coisas atrasadas, mas as pessoas dizem que vão resolver e eu parto sempre do princípio que as pessoas merecem o benefício da dúvida e é isso que faço ver ao grupo de trabalho”, acrescentou Gabriel Barra, elogiando o trabalho do capitão de equipa, Fernando Costa “que que tem sido mais que um capitão. Tem sido um grande amigo do clube”.Sobre o jogo, o treinador do Tramagal considera que a vitória da sua equipa foi justa porque construiu mais oportunidades, mas admite que o Marinhais também foi uma equipa incómoda e podia ter feito o seu golo.O técnico do Marinhais, José Nunes, também concordou com a justiça da vitória do Tramagal, assumindo que a sua equipa esteve um pouco intranquila. “O Tramagal na segunda parte conseguiu superiorizar-se. Houve ali um bocado de intranquilidade da minha equipa, o que deu a vitória ao Tramagal. Acabámos por sofrer o golo numa desatenção dos centrais. A haver um vencedor, na parte final, seria o Tramagal”.José Nunes acredita que a sua equipa ainda vai deixar os últimos lugares da classificação, até porque depende apenas de si e dos confrontos directos com adversários na luta pela despromoção. “Se não acreditasse ia-me embora. Temos como objectivo fazer nove pontos nos jogos que se avizinham. Temos um jogo em casa que temos de ganhar, depois vamos tentar ganhar a Vila Chã de Ourique e temos um adversário mais directo, que é o Benavente. O campeonato não acaba aqui”, concluiu.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...