uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Um título histórico

Um título histórico

Atlético de Pernes venceu 2-1 o Fátima e sagrou-se campeão de juniores da II divisão

Os juniores do Atlético de Pernes viveram, no sábado, a sua jornada de glória. Depois de terem assegurado a vitória na sua série, sem derrotas, conquistaram o título de campeão distrital da II divisão. Um título que é mais uma lufada de entusiasmo a todo o clube que nos últimos anos, se tem dedicado em exclusivo às camadas de formação.

Edição de 28.04.2004 | Desporto
Há uma semana, após o empate 0-0 cedido em casa na primeira-mão da final, o treinador do Atlético de Pernes dizia, com grande convicção, que a sua equipa ia a Fátima vencer o jogo da segunda mão. E essa profecia cumpriu-se. Os jovens jogadores de Pernes venceram mesmo e conquistaram para a sua equipa o título de campeão. Um título histórico que fica a marcar a vida da pequena colectividade.Num jogo que, diga-se, foi apenas de razoável qualidade, o Atlético de Pernes soube construir, no jogo com o Fátima, uma vitória cómoda e justa. Tudo acabou por ser facilitado pelo seu adversário, que, apesar de ter apresentado uma equipa mais reforçada, nunca conseguiu contrariar o melhor futebol do meio campo da equipa comandada por António Cruz.Curiosamente, até foi o Fátima que começou melhor e, logo no primeiro minuto, criou uma boa oportunidade, quando Edgar se isolou e correu para a área. Mas quando se preparava para rematar foi derrubado por Tiago, que viu o cartão amarelo. Na marcação do livre nada resultou.Aos pouco, o Pernes, a jogar de modo muito inteligente, com o trio de meio campo formado por Vítor Azedo, Moreno e Torrado a dar muito boa conta de si, e a defesa onde se destacava Pedro Marçal, foi acertando com as marcações e saindo com perigo para o ataque.Aos 10 minutos, surgiu o primeiro golo. Lançado em profundidade, Osvaldo isolou-se, entrou na área e quando se preparava para rematar para a baliza foi derrubado pelo guarda-redes Manuel. Grande penalidade que Vítor Azedo transformou no primeiro golo da sua equipa.O Fátima reagiu bem ao golo sofrido e o jogo passou a ser muito mais repartido pelos dois meios campos. Embora a equipa do Pernes tenha apresentado sempre um futebol mais personalizado e conseguisse levar sempre mais perigo à baliza de Manuel. Como exemplo, aos 12 minutos, Osvaldo obrigou o guarda-redes do Fátima a uma grande defesa.Aos 15 minutos, foi a vez de Pedro mostrar as suas qualidades de guarda-redes. Edgar ganhou a bola na direita, ultrapassou dois adversários e à entrada da área rematou forte para uma defesa espectacular do jovem guardião da baliza do Pernes, que, aos 29 minutos, voltou a salvar a sua baliza ao defender um remate forte de Ricardo Figueira.A última oportunidade da primeira parte pertenceu ao Pernes. Iam decorridos 44 minutos quando, numa jogada de envolvimento a meio campo, Vítor Azedo colocou a bola na esquerda em Vítor Hugo, que centrou para a entrada da área, onde apareceu Moreno a rematar forte para defesa apertada de Manuel.A vitória do Pernes ao intervalo ajustava-se ao desenrolar do jogo. A equipa treinada por António Cruz manteve sempre uma ligeira superioridade, que o Fátima ia contrariando com o voluntarismo dos seus jogadores. Contudo o perigo rondou sempre mais a baliza do jovem Manuel.A equipa do Pernes regressou para a segunda parte com o firme propósito de resolver o jogo. Partiu para cima do seu adversário, e rapidamente chegou ao segundo golo. Iam decorridos 50 minutos quando Vítor Azedo foi derrubado em falta já no meio campo do Fátima. O mesmo jogador encarregou-se da marcação do livre, colocando a bola em Vítor Hugo na esquerda que tentou o cruzamento, mas a bola saiu em arco e sobrevoou o guarda-redes Manuel e foi anichar-se no fundo da baliza.O resultado do jogo ficou praticamente sentenciado. Até porque cinco minutos depois Manuel veio defender com as mãos fora da área e foi expulso, ficando o Fátima a jogar com menos um elemento. Nesta altura também os jogadores das duas equipas, pouco ou nada habituados a jogar em terreno relvado, acusavam o esforço e iam surgindo as tradicionais cãibras, e a partida, ainda que emotiva, perdeu espectacularidade.Contudo o Fátima parecia estar melhor fisicamente, e conseguiu empurrar o adversário para junto da sua área. E, aos 62 minutos, conseguiu chegar ao golo de honra. Ricky, que momentos antes tinha substituído Zé Luís, ganhou em velocidade aos centrais do Pernes e, à entrada da área, rematou forte sem hipóteses de defesa para Pedro.Daí até ao apito final do árbitro o jogo arrastou-se. O Fátima tentou, mais com o coração do que com a cabeça, chegar pelo menos ao empate. O Pernes defendeu bem e nunca descurou o contra ataque. Contudo nada mais se alterou, nem mesmo quando aos 78 minutos Tiago foi expulso, ficando as duas equipas em igualdade numérica.A jovem equipa do Atlético de Pernes foi uma justa vencedora e conseguiu o título de campeão com brilho, que os jogadores, equipa técnica, dirigentes e uma pequena falange de apoio festejou exuberantemente dentro e fora do relvado.Sílvio Rosa é um árbitro muito experiente, esteve bem tecnicamente, não teve interferência no resultado, mas disciplinarmente foi um autêntico desastre. E, nesse campo, o Pernes foi o mais prejudicado.
Um título histórico

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...