uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante

Forcados da Chamusca fizeram a festa

Toiros no Cartaxo por ocasião da festa do vinho

Em dia feriado (1 de Maio) , com um sol de primavera a durar até quase ao final do espectáculo, assistiu-se na castiça praça de toiros do Cartaxo a uma corrida de toiros em que os Forcados da Chamusca foram o melhor e o pior do espectáculo.

Edição de 05.05.2004 | Cultura e Lazer
A corrida de Toiros que abriu a época taurina no Cartaxo ficou marcada pela actuação dos Forcados Amadores da Chamusca que estiveram no seu melhor ao pegaram cinco dos seis toiros da corrida e no seu pior na tentativa frustrada de pegaram o quarto toiro da tarde que acabou por recolher “vivo” aos curros.António Ribeiro Teles foi o cavaleiro da tarde ganhando o prémio destinado à melhor lide a cavalo. João Salgueiro, outro dos cavaleiros em praça, também teve uma excelente actuação o que deu ainda mais brilho ao prémio ganho por António Ribeiro Teles.Marco José, um dos mais promissores cavaleiros portugueses, surpreendeu pela positiva conseguindo uma boa prestação no seu segundo toiro da tarde sendo premiado com os aplausos do público e a música da Banda do Centro Cultural Azambujense que acompanhou ainda os outros dois cavaleiros em cada um dos dois toiros que tourearam.Os Forcados Amadores da Chamusca, que se apresentaram em praça para pegarem os seis toiros da corrida, foram assobiados a meio do espectáculo uma situação pouco normal numa corrida de toiros.Depois de três pegas em que conquistaram os aplausos do público, os amadores da Chamusca perderam o norte ao tentarem, sem êxito, a pega do quarto toiro que saiu à praça.Os rapazes das jaqueta das ramagens bem tentaram levar a sua Carta a Garcia mas o toiro provou ser o mais forte.Depois de várias substituições no forcado da cara, a tentativa da pega de cernelha chegou a enervar o público tal foi a inabilidade dos dois forcados escolhidos pelo cabo. Com o director de corrida a mandar recolher o toiro instalou-se a confusão e todo o grupo se envolveu numa atitude de “ou vai ou racha” que custou algumas mazelas físicas a varias forcados. Cinco deles acabaram por receber tratamento no hospital.A coragem demonstrada pelos forcados, que quase se atiraram para cima do toiro, ia estragando o espectáculo. Estava escrito que o toiro iria “vivo” para dentro e que nestas situações os forcados devem, cada vez mais, saber assumir as contingências decorrentes do seu trabalho.O público não gostou do que viu e, caso muito raro nas praças de toiros, ouviram-se assobios e protestos pela forma como o grupo se comportou.Apesar de uma batalha perdida o grupo acabou por ganhar a guerra pegando com valentia os dois últimos toiros da corrida. No final Rui Pedro acabou por ganhar com alguma justiça o prémio para a melhor pega da tarde e algum público ainda pediu a presença do grupo no centro da praça.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...