uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante

Rui Górriz

COM A SELECÇÃO NO CORAÇÃO

Rui Gorriz é um dos treinadores ribatejanos com maior currículo no futebol nacional Passou por clubes como o Barreirense, Olhanense, Imortal de Albufeira e Lusitânia dos Açores e, actualmente, é técnico principal do Fátima. Assumindo aqui o papel de treinador de bancada não esconde algum cepticismo quanto à prestação portuguesa.

Edição de 05.05.2004 | Desporto
Até onde pode ir a selecção nacional?A nossa selecção há vários anos que é constituída por jogadores de craveira internacional, o que faz com que seja forte e pratique um bom futebol, esgrimindo forças com qualquer das melhores selecções do mundo. No entanto, o desaire no último mundial retirou alguma confiança aos jogadores e aos adeptos. Se tivesse havido vitórias nesta fase de preparação já se tinha voltado a um clima mais positivo, mas aliado aos maus resultados há uma certa crispação com os critérios de escolha do treinador. Mas com o tempo que ainda falta e a oportunidade que só agora haverá para trabalhar mais aprofundadamente, penso que poderá aproveitar o factor casa e mostrar-se uma das selecções mais fortes.Está a pensar ir ver jogos ao vivo, ou vai ficar pelo sofá?Prefiro ir ao estádio, mas é obvio que não poderei ir a todos os jogos. Estou a planear ver 3 jogos, um de Portugal e dois dos quartos de final.Gosta mais de ver jogos sozinho, ou acompanhado?Prefiro juntar o útil ao agradável e ver com os amigos, embora em algumas fases do jogo fique demasiado concentrado para ligar a quem está à minha volta porque há situações que não gosto de perder.Costuma gravar os jogos e tirar notas quando vê os jogos na televisão?Há equipas que têm um domínio tão bom das questões tácticas que merecem ser analisadas ao pormenor. Penso que gravar um jogo e analisar a circulação da bola, as combinações, e os aspectos tácticos é um instrumento importante para qualquer treinador.É adepto para vestir camisola e ir de cachecol para a rua comemorar uma eventual vitória portuguesa?Naturalmente. Este sentimento de sermos portugueses e vitoriarmos quem merece não pode ser reprimido. Embora seja uma pessoa comedida, sou bem capaz de vestir a camisola e pôr o cachecol e ir para a rua festejar.Scolari é o treinador ideal para conduzir Portugal ao triunfo?O mais cómodo é dizermos que ele é o campeão do mundo, mas sou sincero e não é dos treinadores por quem tenho mais admiração e julgo que Portugal para ganhar o europeu não precisava dele. A acção de marketing que envolveu a sua contratação como campeão mundial não está a ser conseguida. Mas espero que tenha sucesso e faça jus a esse título.Se fosse seleccionador convocava Vítor Baía?Claro. Não tenho dúvidas que é, ainda, o melhor guarda-redes nacional. O Ricardo é um grande guarda-redes, mas não está a ter uma época feliz e não sei se vai conseguir ultrapassar esta fase a tempo.E o Moreira, com as exibições que tem feito, deveria ser convocado?Acredito que o Moreira, no futuro, vai ser o titular da nossa selecção. Está num extraordinário momento de confiança, mas deve ser convocado um guarda-redes mais experiente e que saiba lidar melhor com a pressão de um europeu.Qual é a sua selecção ideal?Colocava o Vítor Baia na baliza, o Paulo Ferreira à direita e o Nuno Valente à esquerda. Para centrais escolhia o Ricardo Carvalho e o Jorge Andrade. No meio campo jogava com o Costinha e o Maniche e depois o Deco ou o Rui Costa. Na frente Figo Pauleta e Simão.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...