uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
A arte de trabalhar a madeira

A arte de trabalhar a madeira

Artesão de Samora aposta em motivos alusivos ao passado

Manuel Palma é um artesão que resolveu, há cinco anos, pôr mãos à obra. Nas horas livres, fecha-se no seu atelier de trabalho e constrói pequenos objectos que têm feito o regalo de familiares e amigos.

Edição de 07.07.2004 | Cultura e Lazer
Construir objectos em madeira é a verdadeira vocação de um artesão de Samora Correia. Chama-se Manuel Palma e só há cinco anos descobriu a sua habilidade na arte de trabalhar a madeira. Com 59 anos de idade, dedica-se normalmente a construir objectos que tenham a ver com o passado. No seu expositor, vêem-se peças como uma locomotiva a vapor, um avião de combate, um moinho, um canhão da Primeira Guerra Mundial, helicópteros, uma azenha algarvia ou uma carroça de bois nortenha. As suas peças de artesanato são todas feitas à escala. E muitas delas até funcionam como as reais. Só para se ter uma ideia, o avião – Caça Bell P-39 da 2ª Guerra Mundial – até já voou. Foi equipado com um motor de 1,5 cavalos. Por vezes, Manuel Palma chega a consultar livros e enciclopédias para saber mais pormenores sobre os modelos. Outras vezes, vai mesmo falar com pessoas conhecedoras do assunto para colher o máximo de informação para as suas construções. O objectivo é conseguir autênticas réplicas que se assemelhem o mais possível com o real. Para este empresário de Samora Correia, tudo começou quando há cinco anos foi a um supermercado e viu à venda uma carroça antiga. “O objecto custava os olhos da cara, mas a sua construção deixava muito a desejar”. “As rodas do veículo até eram quadradas”, acrescentou. Por isso, achou que conseguia construir uma carroça muito mais perfeita. Meteu mãos à obra e a sua primeira peça de artesanato foi mesmo uma carroça. Todos os seus objectos são desmontáveis para que os interessados possam também apreciar os seus interiores. Portas e janelas a abrir, hélices a funcionar, luzes a acender. Tudo como os modelos verdadeiros.Neste passatempo não basta ser-se apenas artista da madeira para conseguir produzir estas pequenas obras-primas. É preciso igualmente ter noções de electricidade para poder completar da melhor forma possível o trabalho. Ligar o motor, perceber de controlo remoto ou simplesmente saber ligar luzes, são pormenores importantes nesta vida de artesão. Nem vendas nem exposiçõesTudo é feito no seu pequeno atelier de trabalho que fica nas traseiras da sua casa, onde tem todo o tipo de utensílios para poder trabalhar. Os materiais que utiliza são um tipo de madeira chamado Balsa, x-acto, cola, alumínio, borracha e tinta. Normalmente, trabalha à noite. Por vezes, até às quatro da manhã. No entanto, não costuma contabilizar as horas que dispensa para construir cada uma das suas peças de artesanato. Se lhe pedirem para fazer as contas, há objectos que demoraram dezenas de horas até estarem completamente concluídos. Também no que diz respeito ao valor de cada peça, Manuel Palma não costuma querer falar do assunto. Houve até quem já lhe tivesse oferecido 500 euros por uma única peça. Mas o valor dos seus objectos é essencialmente pessoal, por isso vender não faz parte dos seus objectivos.Além da carroça, a locomotiva a vapor USA - a primeira a fazer a travessia do oeste americano - é a que tem chamado mais à atenção de muitos familiares e amigos. Sempre que recebe visitas em sua casa, quase toda a gente faz questão de conhecer a sua mais recente peça de artesanato. Os objectos são vistos ao pormenor. Depois segue-se uma pequena explicação técnica e histórica, feita pleo artesão. Já no que diz respeito à sua participação em exposições, Manuel Palma costuma mostrar-se muito céptico quando é convidado a expor. É que transportar tantas peças de artesanato torna-se uma tarefa difícil. Além disso, no transporte pode danificar-se alguma coisa. Muitos pormenores de cada objecto são tão meticulosos que é preciso ter cuidado para que nada se perca ou estrague. “É que a recuperação de algumas partes de peças torna-se uma tarefa árdua”, adianta o artesão.Neste momento, Manuel Palma está a terminar uma avio-neta de asas sobrepostas. Nos seus próximos horizontes, está a produção de uma “réplica” da Igreja Matriz de Samora Correia.Mário Gonçalves
A arte de trabalhar a madeira

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...