uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante

Ficar entre os cinco melhores

Estrela Ouriquense apresentou plantel e objectivos para a época 2004-2005

O Ouriquense reforçou-se em força para atacar o Campeonato Distrital da Primeira Divisão e a Taça do Ribatejo da época passada. Apesar de terem ido buscar cinco jogadores que actuavam na terceira divisão nacional - Sérgio Mendes, Rebita, Marco Neves, Ricardo e Zézé - os responsáveis do Ouriquense dizem que querem apenas ficar num dos cinco primeiros lugares do campeonato.

Edição de 07.07.2004 | Desporto
Ficar entre os cinco primeiros classificados do Campeonato Distrital da Primeira Divisão da Associação de Futebol de Santarém é o grande objectivo do Estrela Futebol Clube Ouriquense, uma das equipas que melhor se reforçou durante o defeso até ao momento.Com cinco reforços de categoria reconhecida e dois jovens de quem se espera muito, o popular clube de Vila Chã de Ourique, que continuará a ser treinado por Jorge Peralta, manteve 12 jogadores da época passada e promoveu dois juniores à equipa principal.Entre as caras novas destacam-se as de Sérgio Mendes, Rebita, Marco Neves e Ricardo, todos habituais titulares do Fazendense, da terceira divisão, na época passada; Zézé, suplente frequentemente utilizado do Rio Maior, também da terceira nacional, e dois jovens promissores: Ruas e Pelarigo, que vieram do União de Santarém.O grosso do plantel fica da época passada. Gonçalo, Castanheira, Miguel Duarte, Pego, Rui Pedro, Rita, César Piedade, Maltez, Diogo Ramos, Pombo, Rato e César Costa são as permanências, a que se juntam André e Rui, dois ex-juniores do clube. O clube poderá ainda contratar um guarda-redes e um central, ambos jovens, jogadores para ganharem experiência e, em caso de necessidade, darem o seu contributo à equipa principal.Na apresentação, realizada na sexta-feira à noite, num restaurante de Vila Chã de Ourique, Jorge Peralta mostrou-se satisfeito com os sete reforços, que apelidou de “acima da média” e que acredita que, em conjunto com os que ficaram, vão trabalhar muito para ficarem entre os cinco primeiros e fazerem melhor que o ano passado na Taça do Ribatejo, em que a equipa foi eliminada nas meias-finais.Questionado se com a qualidade dos reforços esse objectivo não seria pouco ambicioso, o treinador do Ouriquense responde que é preciso estar com os pés bem assentes no chão para não embarcar em euforias. Amiense e União de Santarém são apontados pelo técnico como as equipas teoricamente mais fortes, até porque se reforçaram muito bem.O Ouriquense só vai começar os treinos no dia 9 de Agosto, mas durante o jantar de apresentação Jorge Peralta entregou um programa de treino a todos os atletas para que estes cuidem da sua forma física durante este mês que falta até ao início dos trabalhos. A equipa já tem agendados vários jogos de treino. O primeiro é em casa, no dia 14 de Agosto, com o União de Almeirim, às 17h00, seguindo-se o União de Santarém, no Chã das Padeiras, no dia 19, às 20h00. No dia 26 o Estrela joga em Rio Maior com a equipa local (19h30) e no dia 28, joga ás 17h00, em casa, com o Coruchense. Antes do início do campeonato, no dia 12 de Setembro, a equipa tem mais quatro jogos de preparação mas os adversários estão ainda por definir.Sintético pronto antes do início da épocaA par dos objectivos desportivos, directores, técnicos e jogadores do Estrela Ouriquense estão a contar com a conclusão do relvado sintético até ao começo do campeonato. A esse propósito Jorge Peralta disse mesmo que era uma condição essencial para o plantel trabalhar com mais qualidade e mostrou-se a favor do fim dos pelados no distrital da primeira divisão.Também o presidente do clube, Carlos Albuquerque, acredita que o relvado sintético estará pronto em Setembro. As obras já se iniciaram mas para que fiquem con-cluídas é necessário que a Câmara do Cartaxo aprove o projecto e dê as garantias de pagamento exigidas pela empresa construtora. Pedro Ribeiro, vereador com o pelouro do desporto na autarquia cartaxeira, esteve presente na apresentação do plantel mas não se pronunciou sobre este facto.Rebita diz que nunca falou em números com o presidente do Fazendense“Saí por respeitoa mim próprio”As declarações do presidente do Fazendense a um jornal desportivo regional caíram mal no Ouriquense e nos jogadores que se transferiam das Fazendas de Almeirim para o clube de Vila Chã de Ourique.Rebita, um dos visados nas declarações de Botas Moreira ao jornal “O Remate” desmentiu a O MIRANTE que tenha dita ao dirigente do Fazendense que ia ganhar 525 euros por mês, mais mil euros para assinar, e garante mesmo que o presidente do clube nem sequer o contactou para renovar. “Não houve qualquer demonstração de interesse para a minha continuidade. Disse que tinha que baixar o orçamento, fiquei à espera de uma proposta, mas até hoje não veio falar comigo”, afirmou o jogador.“Nunca se falou em números, que ainda por cima são completamente falsos e não correspondem minimamente à verdade”, adianta Rebita, que questiona se os outros jogadores que saíram para outros clubes também o fizeram por dinheiro ,ou por não se sentirem bem no Fazendense.“Saí por respeito a mim próprio”, disse apenas o jogador, não querendo entrar em pormenores, mas deixando entender que o ambiente no balneário não seria o melhor.Confrontado com estas declarações, Botas Moreira confirma que não foi Rebita, mas Marco Neves quem lhe disse que ia ganhar 525 euros por mês para o Ouriquense. O que o presidente do Fazendense não aceita é que Rebita diga que não recebeu qualquer proposta. “Ofereci-lhe 350 euros por mês, ele disse que ia pensar, mas nunca mais disse nada e preferiu sair”, garante o dirigente, versão que contradiz as afirmações do jogador.Sobre o seu futuro no Ouriquense, Rebita acredita que a passagem do nacional para o distrital não é um passo atrás nem sequer uma novidade na sua carreira. É que quando saiu do Coruchense, na altura na terceira nacional e foi para o Rio Maior, que estava no distrital, acabou por subir aos nacionais, novamente nessa época.Responsáveis do Ouriquense não gostaramQuem também não gostou das declarações de Botas Moreira foi o presidente do Ouriquense. Carlos Albuquerque diz que os números revelados por Botas Moreira são mentira e lamenta que haja dirigentes que justifiquem debandadas com o dinheiro pago pelos outros clubes. “Se calhar eles vêm é à procura de um bom grupo de trabalho. Será que os outros jogadores que saíram também foi porque lhes ofereceram mais?”, questiona.Em resposta Botas Moreira diz que não quer guerras com ninguém, lamentando, no entanto, que as finanças só fiscalizem clubes que estejam, ou que estiveram recentemente nos campeonatos nacionais, e não façam o mesmo aos clubes do distrital.Capitão não quer entrar em euforiasO capitão da equipa sénior do Estrela Ouriquense reconhece que a equipa se reforçou bem para a próxima época mas não quer entrar em euforias desmedidas. “Temos um plantel muito diferente dos últimos anos, com os novos reforços acredito que vamos fazer um campeonato muito tranquilo, mas não vamos entrar em euforias”, afirmou Rato durante a apresentação do plantel, no dia 2 de Julho.O experiente jogador acredita que a construção do relvado sintético poderá ser uma forte ajuda para que a equipa jogue melhor, uma vez que o anterior piso não era o melhor. “O pelado é rijo e como não há muita facilidade em regá-lo aparecem muitas lesões”, lembra o capitão, que elege o União de Santarém e o Amiense como os principais candidatos aos primeiros lugares, sem esquecer o Coruchense que, na sua opinião, se reforçou muito bem.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...