uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Inclemente Manuel Serra D’Aire

Inclemente Manuel Serra D’Aire

Edição de 13.07.2004 | E-mails do outro mundo
Querem salvar os burros da extinção. Essa mensagem foi passada num colóquio em Vale de Figueira e deixou-me completamente aturdido. Se Portugal tem um stock bem fornecido é nesse sector. Jumentos por cá não faltam. Todos os dias nos deparamos com eles, estacionados nos lugares destinados a deficientes junto aos hipermercados, ultrapassando pela direita nas auto-estradas, cuspindo para o chão nos passeios, deitando a fralda do bebé para a berma da estrada, fazendo figuras de urso nos concursos da TV. Eu próprio confesso desde já a minha costela de asno. Se não és tu e os teus escritos esclarecedores, nunca mais me entendia com o raio deste país. Estava eu convencido que os buzinões e caravanas sucessivos que se viram de lés a lés em Portugal durante algumas semanas tinham como motivo festejar a partida do nosso ex-primeiro-ministro para Bruxelas, quando leio o teu mail e desperto para a realidade. Afinal a culpa era de onze rapazes e de uma bola, mais um senhor brasileiro que é uma espécie de mistura Gene Hackman e Sean Connery e que é devoto de uma Nossa Senhora com nome de pizza.Se não fosse o futebol, que seria de nós? E sobretudo dos hipermercados e lojas de chineses que venderam bandeirinhas como pãezinhos quentes? E das gasolineiras? E das cervejeiras? E do Scolari, que nos comeu que nem uns papalvos com um futebol da treta durante mais de um ano e que acabou por sair quase em ombros porque fez o óbvio: que era colocar os melhores jogadores em campo. E ainda dizem que os jericos estão em vias de extinção…Estão tão em vias de extinção como o Ministério da Agricultura vem para Santarém. O futuro primeiro-ministro Santana Lopes já anunciou essa possibilidade, o que é mais uma machadada nas nossas aspirações. Agora é que não vem mesmo! Cada obra que ele anuncia é esquecida ou fica a meio. É tiro e queda! Lembras-te do casino, do Parque Mayer, do túnel do Marquês. É tal e qual o nosso Rui Barreiro, que anda há anos a falar do Campo Infante da Câmara, do estádio municipal, das ciclovias e do diabo a sete e que agora até já imita o ex-autarca de Lisboa com os seus cartazes de propaganda. O saldo da obra feita é que é igual ao do Santana. Ou pior, porque aquele ainda conseguiu chegar ao Governo. O que realmente é obra!Hoje deu-me para falar de burros e de políticos, que tão folgados andavam, e não posso deixar de mencionar os voluntariosos autarcas da Assembleia Municipal do Entroncamento que querem disciplinar a canzoada lá do concelho, pondo-a a fazer as necessidades no sítio certo. Para isso houve até quem propusesse a construção de sanitários públicos para canídeos em vários pontos da cidade, embora eu duvide da eficácia de tão audaciosa medida.O meu receio é que esses espaços, tal como os que estão reservados aos humanos, passem a ser usados para encontros de canídeos com orientações sexuais diferentes (como dizem os do Bloco de Esquerda) e para práticas pouco consentâneas com aquilo a que chamamos necessidades fisiológicas. Já não basta a depravação humana, agora só nos faltava aparecer em casa um debochado Piloto ou uma depravada Lassie com um andar novo após uma ida à retrete. Cuidado pois com essas modernices. Pelo sim, pelo não, uma mijinha no meio dos arbustos ainda é a coisa mais segura.Um abraço à atleta de luta greco-romana do Serafim das Neves
Inclemente Manuel Serra D’Aire

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...