uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Mais um mandato na calha

Mais um mandato na calha

As dificuldades em encontrar sucessor
Edição de 14.07.2004 | Política
Está quase há quinze anos à frente da Câmara de Almeirim. Está a pensar continuar?Isso é uma coisa que só no próximo ano vai ser pensada. Acho que já seria um mandato a mais, mas há condições que temos de respeitar e também aspectos a levar em consideração antes de se definir uma candidatura.Quais?As minhas condições físicas e de saúde, a vontade do partido localmente e ter a sensação muito nítida que há aceitação por parte da população. Esta última para mim é fundamental.Há um factor que não enumerou, mas é notório que a dificuldade em encontrar um sucessor também tem pesado.Não o enumerei porque o incluo na parte que diz respeito à vontade do partido. Se o PS entender que temos um sucessor com condições de êxito discutirá concerteza a questão comigo.Mas o partido em Almeirim é o senhor!?Não é bem assim...Mas tem um peso muito grande e é presidente da comissão política...Contudo não deixo de ouvir os meus camaradas…Há uns anos colocou a hipóteses de não se candidatar, mas acabou por ter de assumir que não havia substituto a altura.Foi a vontade do partido na altura. Mas o problema da sucessão vai acontecendo na maior parte das câmaras. Não há duas pessoas iguais e normalmente definimos o perfil do nosso sucessor pela imagem que criamos de nós. E normalmente não encontramos uma pessoa que preencha os nossos requisitos. Por isso, acho que a questão da sucessão deve ser deixada para outros.Mesmo no seio do executivo municipal nunca se vislumbrou claramente um número dois, que garantisse alguma preparação na hora da sucessão, como acontece noutras autarquias. Nem sequer há vice-presidente nomeado…É verdade, mas a partir do meu segundo mandato tem havido sempre gente nova. Só que depois lá aparece a questão do perfil. Desses vereadores novos, como Pedro Ribeiro ou João Torres, qualquer deles pode vir a ser presidente. Mas é preciso que reúna o consenso de um conjunto de pessoas que é mais do que a comissão política concelhia.No entanto, não se ouve nenhum deles a dizer que está disponível para essa causa, a perfilar-se como potencial candidato quando o senhor decidir abandonar...Há um vereador que de certeza está disponível para se candidatar, que é o Pedro Ribeiro. Pode ser o sucessor, mas já lhe disse que não pode correr o risco de disputar umas eleições que vá perder. Tem que ter uma opinião largamente maioritária dentro do partido e deve fazer uma sondagem para saber o que a população pensa dele. Considera que o vereador Pedro Ribeiro é o que está melhor preparado para vir a ser candidato a presidente pelo PS?O vereador Pedro Ribeiro é o que tem feito o maior esforço para ser candidato à câmara.A aposta no vereador João Torres saiu falhada?Nunca apostei nele para me suceder na câmara. Pode ter inclusivamente algumas qualidades melhores que as do vereador Pedro Ribeiro, mas precisa, para concorrer à Câmara de Almeirim, de outros requisitos. Nomeadamente de estar muito mais enraizado na sociedade almeirinense, já que não é natural de cá...Essa questão hoje em dia parece ultrapassada. Há candidatos a câmaras que nem sequer conhecem a terra onde são candidatos, e alguns até acabam por ganhar.Penso que isso não resultaria em Almeirim e tenho dificuldades em aceitar que resultasse noutros concelhos da nossa região. A curto e médio prazo não vejo possibilidades de João Torres ser candidato a presidente da Câmara de Almeirim. Mas o futuro, por vezes, reserva-nos supresas...A relação com a oposição ao longo dos anos tem sido normal, mas neste mandato tem havido alguma crispação com a vereadora da CDU. Porquê?Pelo comportamento dela. Já tivemos vereadores da CDU bastante cáusticos na sua forma de actuar, como Gabriel Duarte e José Alfaiate, que são às vezes violentos na linguagem que utilizam, mas não são ofensivos. Manuela Cunha é desrespeitadora e fez acusações que estão em acta, em banho Maria, que provavelmente nos levarão a tomar outro tipo de medidas. A democracia não permite lançar suspeições que põem em causa a honorabilidade de cada um. Essa questão é intocável para mim.Porque é que ainda não agiu.Agiremos na altura oportuna.Qual era o projecto que gostava de ver concretizado antes de sair?Com os projectos que temos no concelho para recuperação do cine-teatro, para a construção do centro do corte de carnes e enchidos para a sopa da pedra e a construção do pavilhão desportivo de Benfica do Ribatejo, as nossas ambições viram-se sobretudo para a rede viária que serve o concelho. Há duas vias internas que são muito importantes: a circular urbana de Almeirim e uma circular urbana às Fazendas. Queria também ver mais consolidada a nossa zona de actividades económicas e depois a requalificação urbana e um ou outro equipamento nas freguesias.
Mais um mandato na calha

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...