uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante

Rosinha condena autarca socialista

Presidente da Câmara de Vila Franca indignada com atitude de Manuel Fiúza
Edição de 14.07.2004 | Política
A presidente da Câmara Municipal de Vila Franca de Xira condenou o comportamento do autarca socialista Manuel Fiúza na reunião pública da câmara realizada no dia 23 de Junho na Póvoa de Santa Iria e pediu desculpas públicas pelo sucedido.Recorde-se que o eleito do PS na assembleia municipal (um autarca com mais de 20 anos de ligação ao associativismo e ao poder local e distinguido nas comemorações do 25 de Abril) chamou “palhaço” ao vereador do PSD Rui Rei que respondeu ao mesmo nível e afirmou: “palhaço é tu”.Maria da Luz Rosinha (PS), que não estava presente na altura da discussão, considerou que a intervenção de Manuel Fiúza foi “desrespeitosa” e “extemporânea” e disse partilhar a indignação que o vereador social-democrata manifestou na última reunião no dia 7 de Julho. ”Lamento que tal tenha acontecido… se voltar a acontecer o munícipe será convidado a sair imediatamente”, disse.A edil considerou que aquele momento poderia ter sido evitado se o vereador usasse outro tom de voz e outro estilo nas suas intervenções.A reacção da presidente surgiu depois de Rui Rei ter lamentado a falta de solidariedade política de toda a câmara e ter criticado a passividade do vice-presidente, Simões Luís (PS), que dirigiu a reunião e “nem sequer advertiu o munícipe que injuriou um membro da câmara”.“Se eu não me tivesse levantado e não tivesse olhado de frente para o senhor ainda hoje lá estaria a provocar-me”, disse o vereador do PSD.Rui Rei frisou que o munícipe em causa tem responsabilidades acrescidas e deveria ser advertido. “Não era um munícipe qualquer, era um homem com 30 anos de eleito do PS e que recebeu o emblema autárquico deste município”, reforçou.O vereador social-democrata disse que se houver um munícipe que tenha uma atitude semelhante para com a câmara vai ter de estar solidário com o munícipe porque não terá legitimidade para o criticar.O vice-presidente Simões Luís referiu que não se apercebeu a quem se dirigiam as palavras do munícipe. “Só percebi quando o vereador se levantou e respondeu nos mesmos termos”, explicou. O autarca criticou ainda a actuação do seu colega de maioria, o vereador Ramiro Matos que se envolveu numa acalorada discussão com Rui Rei que deu origem ao incidente.Simões Luís lamentou que os seus colegas lhe tenham dificultado a vida e garantiu que se um incidente deste tipo de repetir dará imediatamente a reunião por finalizada.Rui Rei tentou justificar a sua reacção. “Não posso admitir que um autarca com responsabilidade me venha provocar e que eu fique quieto. Esse senhor teve uma atitude provocatória e eu quando me pico no dedo sai sangue”, concluiu.O MIRANTE fez várias tentativas para ouvir uma reacção do autarca socialista Manuel Fiúza sobre os comentários proferidos na reunião de câmara, mas tal não foi possível até ao fecho desta edição.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...