uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante

Provar que subida não aconteceu por acaso

Monsanto entra na série D da Terceira Divisão com ambição

O Monsanto quer fazer boa figura na sua primeira presença na Terceira Divisão Nacional. Disputar a vitória em todos é o objectivo de uma equipa que se sente com capacidade de ficar acima do meio da tabela. Tamandaré (ex-Tramagal), Nuno Martins e Gameiro (ambos ex-Ferroviários), João Torres (ex-U. Leiria), Marco (ex-Mirense) e Márcio (ex-futsal) são as novidades do plantel.

Edição de 21.07.2004 | Desporto
Seguindo a regra de que em equipa que ganha não se mexe ou se altera muito pouco, o Grupo Desportivo e Recreativo de Monsanto (GDRM) apresentou os trunfos com que vai competir na Terceira Divisão Nacional. A equipa do concelho de Alcanena promete dar luta aos seus adversários e, para isso, reforçou-se em sectores chave.Contratou o guarda-redes Nuno Martins e o central Gameiro ao Ferroviários, o ponta de lança brasileiro Tamandaré, proveniente do Tramagal, além de João Torres (ex-U. Leiria) e o ponta de lança Marco (ex-Mirense). O jovem Márcio, que praticava futsal, faz também parte do plantel do Monsanto. De resto, permanece a maioria do plantel campeão da Primeira Divisão Distrital de Santarém. O que na opinião do técnico da equipa, Arsénio Fazenda, dá garantias de poder realizar um bom trabalho e tentar ganhar todas as partidas.“Estou satisfeito com o plantel até porque fui eu que o escolhi. Dispomos de bons reforços e de grande parte dos jogadores que deram boa conta do recado no ano passado”, comentou o treinador, acrescentando que, em termos desportivos, o Monsanto não vai enjeitar qualquer classificação. Ainda que admita que uma subida de divisão será sempre muito difícil.As perspectivas do presidente do Monsanto também são as melhores. Vasco Aparício considera que o plantel está à altura da série D da terceira divisão, e que irá dignificar o nome do clube, jogar com fair-play e honrar a camisola.“Vamos até onde os adversários nos deixarem. O clube tem condições em infra-estruturas, equipamentos e acompanhamento médico”, destacou o dirigente, que também lembrou a estabilidade de um projecto com seis anos e o mesmo técnico na sua liderança. A previsão de orçamento do futebol para a época 2004/2005 situa-se entre os 90 e os 100 mil euros estando, quase de certeza, com o plantel fechado. Intenção do Monsanto é também a criação de uma equipa de juniores que venha a ter continuidade no plantel sénior. Mas isto só na próxima época.O primeiro jogo da pré-época disputa-se com o Fátima, naquela cidade, pelas 19h30 do dia 28 de Julho, seguindo-se outro com o Cartaxo, no campo do Peão, a 31 do mesmo mês, às 17 horas. Já em Agosto, o Monsanto irá jogar com Riachense (fora) no dia 7, às 20 horas, Fazendense (14 e 15), estando por confirmar uma partida com o U. Figueirense, a 22 de Agosto. O campeonato inicia-se a 29 de Agosto.O plantel às ordens de Arsénio Fazenda conta com os seguintes jogadores: Mário Pinto, Nuno Martins e Marcos (guarda-redes), os defesas Vitinho, Gameiro, Lebre, Filipe, Pedro Nobre, Cazuza, Márcio, João Torres, Nuno Ferreira; Paulo Jorge, Tuca, Gonçalo Graça, Moita e Moleiro são os médios; Nilton, Pedro Fazenda, João Magalhães, Marco, Tamandaré compõem a dianteira. Arsénio Fazenda terá como adjunto Alex, além de Nuno Bernardo (preparador físico), Carlos Alberto (fisioterapeuta), Chora (massagista) e António Sousa (roupeiro).

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...