uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Hilariante Manuel Serra D’Aire

Hilariante Manuel Serra D’Aire

Edição de 27.07.2004 | E-mails do outro mundo
Não percebo tanta polémica com a questão da nova rotunda de Torres Novas. Um restaurante e uma cascata no meio do trânsito são inovações a aplaudir e que podem fazer escola. Quem sabe se um dia destes não vamos ter também bares de alternes, campos de futebol ou ministérios deslocalizados no meio das rotundas. Em Torres Novas tudo é possível desde que o presidente da câmara começou a viajar para o Oriente. Aliás, um centro de massagens tailandesas era outra boa ideia.Ao contrário de outros maledicentes encartados, eu até compreendo o camarada Rodrigues. Com a desertificação acelerada do nosso mundo rural, daqui a uns anos a rede de esgotos vai fazer tanta falta em aldeias como Pé de Cão, Rexaldia ou Adofreire como os vendedores de time-sharing no Ruanda. E o contributo dos políticos para esse objectivo tem sido de enaltecer. A táctica é vencer os nativos pelo cansaço. Dar-lhes estradas esburacadas e esgotos a céu aberto, fechar-lhes as escolas e dar-lhes água a conta-gotas, impedi-los de construir até perderem a paciência e abandonarem de vez o campo em busca de uma gaiola na cidade. Meu caro, considera este desabafo em defesa do tonitruante autarca de Torres Novas como um destempero próprio da época estival. Quando um gajo apanha sol a mais na moleirinha fica destrambelhado de todo. Aliás, nem era preciso tanto. Bastou dizerem-me que o Santa Lopes ia pôr a Secretaria de Estado da Agricultura em Santarém para ficar passado. O homem cumpriu meia promessa. É obra! Falou em ministério e mandou uma Secretaria de Estado. Nada mau. Espero que com a secretaria venham também muitas secretárias, e das boas, porque material desse por cá já está muito visto.Outra boa novidade é a que envolve o ex-árbitro de futebol António Rola, que foi nomeado para delegado regional do Inatel. O meu compadre Fanã diz que agora é que o homem está onde merece, pois sempre foi um árbitro ao nível do Inatel. Percebeste alguma coisa? Eu também não… Mas preferia de longe a delegada Fernanda Asseiceira à frente do Inatel. Os jogadores até se esfalfavam todos atrás da bola para tentarem receber a taça das mãos da senhora. Agora, é provável que percam alguma motivação. A não ser que o próprio Rola comece a arbitrar alguns jogos para animar o campeonato. Podia até repetir momentos inolvidáveis como aqueles que se passaram num Estrela da Amadora-Porto, para o pessoal gozar uns minutos bem passados e esquecer a crise. Momentos de certeza melhor passados que os que passei um dias destes num restaurante da região. Não sei o que se passa com a malta que serve às mesas, mas parece-me que hoje em dia, um gajo que não limpe o prato em 10 minutos já está a transgredir. Eu, que acho que o mundo não vai acabar à hora da refeição, gosto de comer, de beber, de conversar, de dar tempo ao tempo. Mas alguns idiotas que dizem ser empregados de mesa acham que um gajo quando está à mesa é para comer. E depressa... Tal como devem julgar que a cama é só para dormir, a sanita só para ler o jornal e o Benfica só para nos fazer rir. Só que desta vez não dei hipótese. A menina deitou-me a mão ao prato, pensando que eu não ira repetir, e zás! Espetei-lhe uma garfada no dedo mindinho que a pôs a chiar que nem uma gata com cio. Eu já a tinha topado. Desde que iniciara a refeição que estava encostada à parede a mirar-nos com olhar de ave de rapina, pois não tinha mais nada para fazer. A nossa mesa estava por sua conta e a moça estava deserta para atacar a presa. Lixou-se! Para a próxima, faça como eu a comer e trabalhe mais devagar.Um rotundo abraço do Serafim das Neves
Hilariante Manuel Serra D’Aire

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...