uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Acesso ao MARL será melhor em 2006

Acesso ao MARL será melhor em 2006

Beneficiação da EN 115-5 vai ser adjudicada e deverá demorar 15 meses
Edição de 28.07.2004 | Sociedade
As centenas de utentes do Mercado Abastecedor da Região de Lisboa (MARL) podem esperar sentados pelas obras na Estrada Nacional 115-5, que serve quem se desloca a partir da Auto-Estrada do Norte. A obra está em fase de adjudicação, envolvendo um preço base de oito milhões de euros e um prazo de execução de 450 dias, mas não ficará pronta antes de 2006. O Instituto de Estradas de Portugal (IEP) garantiu que os trabalhos avançam ainda este ano, mas a obra está contemplada no Plano de Investimentos e Despesas de Desenvolvimento da Administração Central (PIDDAC) com uma verba “irrisória” de 50 mil euros. Mesmo que os trabalhos avancem em 2004 a obra só ficará pronta 15 meses depois. O traçado aprovado pelo IEP tem uma extensão de 3,5 quilómetros entre a rotunda de acesso ao MARL e a rotunda de acesso ao nó de Santa Iria da Auto-Estrada do Norte. A nova estrada terá quatro faixas sendo duas em cada sentido. A via aproveita o corredor da actual na maior parte da distância e melhora as suas condições de circulação com um piso novo, arranjos das bermas e sistemas de drenagem e colocação de nova sinalização horizontal e vertical. Os utentes da EN 115-5 lamentam que a obra tenha sido tantas vezes adiada e os autarcas lembram que já em 2002 foi considerada prioritária pelo ministro das Obras Públicas, Valente de Oliveira. Os trabalhos estiveram prometidos para o primeiro semestre de 2003, mas por falta de verbas, foram sucessivamente adiados. A estrada tem buracos e defeitos no pavimento que a transformam numa via “muito perigosa” onde já se registaram vários acidentes graves. Os danos causados nos carros e camiões também pesam no bolso dos proprietários das viaturas. A situação irá agravar-se com a transferência anunciada da actividade da Docapesca e da estação central de correios, que funciona em Cabo Ruivo, para o MARL. As duas empresas deverão gerar um grande aumento de tráfego e irão sacrificar ainda mais a velha a EN 115-5.O presidente da Junta de Freguesia de Vialonga considera que a obra é muito importante para aliviar a pressão do tráfego junto da vila. As ligações entre o MARL e a A1 são feitas, quase exclusivamente, através da variante de Vialonga e da estrada que atravessa o centro de Vialonga provocando danos nas vias utilizadas e gerando maior insegurança para os peões que atravessam a estrada.Moradores temem insegurançaO projecto aprovado pelo IEP prevê que uma das faixas laterais fique perto dos muros de cerca de uma dezena de vivendas ali existentes. Os moradores que têm casas perto do corredor escolhido para a estrada temem pela sua insegurança. Os reclamantes alegam que quando quiserem sair das suas propriedades de carro irão ter grande dificuldade e correr riscos para entrar na via que será de trânsito rápido. Entretanto alertam que estão previstas novas construções nos lotes vizinhos e os futuros moradores irão sentir a mesma dificuldade. Os proprietários levantaram a questão na fase de avaliação de impacte ambiental do novo traçado, mas o IEP desvalorizou as suas preocupações. O organismo responsável pelas estradas nacionais garante que a situação foi acautelada e que as faixas laterais irão permitir as manobras de entrada e saída das habitações contíguas. As faixas laterais irão ter sinalização própria e uma velocidade máxima de circulação de 50 km/hora.
Acesso ao MARL será melhor em 2006

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...