uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante

Jogo da reconciliação

Riachense perdeu 2-1 na apresentação aos sócios frente ao Abrantes

O Riachense apresentou-se aos seus associados na quarta-feira frente ao Abrantes numa partida em que os abrantinos revelaram grande empenho e venceram 2-1. Com alguns titulares fora, o treinador de Riachos pode considerar-se satisfeito porque os seus jogadores deram uma boa resposta à maior valia do adversário. O jogo serviu também para fazer a reconciliação entre as direcções dos dois clubes, algo deterioradas depois de trocas de acusações após os jogos disputados na época passada.

Edição de 04.08.2004 | Desporto
Depois da troca de acusações e comunicados que aconteceram após os jogos disputados entre ambos no campeonato nacional da terceira divisão na época passada, em que as direcções dos dois clubes se acusaram mutuamente de descriminação no acesso aos jogos realizados quer em Abrantes quer em Riachos, pode dizer-se que este jogo de apresentação da equipa do Riachense aos sócios foi também o jogo da reconciliação entre as direcções dos dois clubes ribatejanos.Com três potenciais titulares de fora devido a lesão ou a outros afazeres e com o plantel ainda incompleto, o técnico do Riachense, João Henriques foi forçado a várias mexidas em relação ao onze que era habitual jogar na época passada.Assim, frente ao Abrantes Futebol Clube, o técnico do Riachense colocou Maltez na baliza e as novidades surgiram logo na defesa. Com Fat, reforço contratado ao Assentis, a jogar a lateral direito e a fazer todo esse corredor. Octávio e Galrinho foram os centrais e o inevitável Miguel Cunha jogou na esquerda.Mas foi no meio-campo que se registaram as maiores alterações. Pereira, Luciano e Tiago Vieira, são novos na equipa e juntaram-se a Hugo Costa e Chambel, mantendo-se na frente apenas Alvegas. Assim, ainda que denotando alguma falta de entrosamento, a equipa já deu boa conta de si.João Henriques parece apostar numa equipa a jogar de trás para a frente, defendendo em bloco e desdobrando-se com rapidez para o ataque e, apesar das limitações de início de época, os jogadores já deram boa conta de si. Alguns já mostraram que estão muito bem fisicamente. Hugo Costa sobressaiu, está com o gás todo nesta fase inicial.A defesa esteve bem. Sofreu o primeiro golo logo aos sete minutos, numa jogada de contra-ataque em que Leandrão meteu a bola rapidamente na frente e Viegas aproveitou para se desmarcar e, à saída de Maltez, desviar o esférico para o fundo da baliza.Mas a defesa não se desuniu e mesmo depois da entrada de Nuno Paulo e Milú, manteve elevados níveis de concentração, mostrando que o entrosamento já se começa a notar. O grande problema reside no ataque, onde Alvegas, sozinho, pouco pode fazer. Tiago Vieira, que jogou como segundo ponta de lança, deu boa conta de si. Empatou o jogo quando eram decorridos 44 minutos, numa jogada de inteligência. Viu o guarda-redes do Abrantes adiantado e fez-lhe um chapéu com conta peso e medida.Com alguns jogadores importantes do plantel impedidos de dar o seu contributo à equipa, casos de Telmo, Milton e Santana, o treinador do Abrantes, Vítor Alves, teve que improvisar, especialmente no ataque, colocando Leandrão isolado como ponta de lança mais fixo, deixando a Viegas e Bruno Lemos a missão de aparecerem com mais assiduidade nas suas costas para aproveitarem os ressaltos e visarem a baliza. O esquema deu resultado. A equipa venceu e deixou boas indicações. A defesa, pouco mexida em relação à época passada, mostrou-se coesa. No meio campo sobressaiu a acção esforçada de Hamilton. Pombo esteve bem na sua missão defensiva e Bruno Lemos, Lucas e Toni mostraram bons pormenores e deixaram a ideia de que o Abrantes pode formar uma equipa com valor para dar alegrias aos seus simpatizantes.Para o primeiro jogo da época as indicações foram positivas. O Abrantes, que marcou o golo da vitória aos 57 minutos por intermédio de Bruno Lemos, também mostrou bons apontamentos. Contudo João Henriques e Vítor Alves ainda têm muito trabalho pela frente para que os conjuntos sejam um verdadeiro bloco, mas pela amostra, os adeptos dos dois clubes podem estar descansados porque existe material humano para formar boas equipas.João Henriques satisfeito com a prestação dos jogadores“Excederam as minhas expectativas”No final do jogo de apresentação aos sócios, o técnico do Riachense, João Henriques, estava satisfeito com a prestação dos seus atletas e mostrava confiança quanto ao futuro. “Após uma semana de trabalho intenso, os meus jogadores estiveram muito bem, excederam mesmo as minhas expectativas”, referiu.A falta de alguns jogadores importantes na equipa, como Miranda, Lula ou Murcela, são mais uma prova de que o futuro pode ser risonho para a equipa dos Riachos, mas nem por isso João Henriques embandeira em arco. “Vamos continuar a trabalhar com vontade, para poder-mos dar alegrias aos nossos adeptos”.Contudo João Henriques não deixou de apontar algumas carências, principalmente no ataque. “Jogámos bem e criámos oportunidades frente a uma equipa de um escalão superior, mas precisamos de mais um ponta de lança, só o Alvega não chega”.Por sua vez, o treinador do Abrantes, Vítor Alves, também gostou do que viu. “Foi o primeiro jogo, serviu para dar competitividade aos jogadores. Foi bom porque o jogo foi viril e deu para que eles se comecem a habituar aos jogo a sério”.Por outro lado Vítor Alves fez questão de confessar a sua satisfação com o comportamento dos jogadores desde o início dos trabalhos e também pelas condições que o clube colocou à sua disposição.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...