uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante

Bancos reduzem número de empregados

Edição de 04.08.2004 | Economia
Os bancos que operam em Portugal voltaram a reduzir o número de colaboradores no ano passado. As poupanças daí decorrentes, aliadas ao aumento das receitas, potenciaram melhorias ao nível dos indicadores de eficiência.Os dados divulgados pela Associação Portuguesa de Bancos (APB) mostram que o número de colaboradores das instituições financeiras a operar em Portugal reduziu-se em 782 pessoas no ano passado, face a 2002.No conjunto do sector, os custos administrativos (que englobam custos com pessoal) mantiveram-se praticamente inalterados nos 4 mil milhões de euros, mas o produto bancário (receitas) subiu 2,2 por cento, para oito mil milhões de euros, refere o boletim informativo da APB relativo ao exercício de 2003.Esta evolução permitiu melhorias ao nível dos indicadores de funcionamento, com o rácio ‘cost-to-income’, que mede a relação entre custos e receitas, a diminuir 1,29 por cento, para 55,97%.De acordo com a APB, a “redução operada no decurso dos últimos anos no número de colaboradores” começa agora a reflectir-se nos custos com pessoal. Estes aumentaram 1,1 por cento no ano passado, mas esta evolução foi, conforme explica a associação, motivada pelos “encargos com pensões”, que agravaram 10,3 por cento, e não pelos custos com vencimentos, que caíram 1,6 por cento.No ano passado, a população bancária portuguesa ascendia a 54.089 elementos (menos 1,4 por cento face ao período homólogo), 52.866 dos quais ao nível da actividade doméstica, estando os restantes 1.223 afectos a sucursais no exterior.Ao nível da rede de agências, a tendência foi inversa, com o número de balcões a crescer 2,2 por cento, para um total de 5.296.Lusa

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...