uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Presidente da Câmara da Golegã critica inércia de Santarém

Presidente da Câmara da Golegã critica inércia de Santarém

A instalação da Secretaria de Estado da Agricultura
Edição de 04.08.2004 | Política
O presidente da Câmara da Golegã abriu as portas do seu concelho à instalação da Secretaria de Estado da Agricultura e acusa os autarcas de Santarém de inércia. José Veiga Maltez (PS) diz que se fosse presidente na capital do Distrito já tinha desencantado, custasse o que custasse, um edifício para instalar aqueles serviços.Apesar de camarada de partido do presidente da câmara de Santarém, Rui Barreiro, o autarca não lhe poupa críticas e diz que a própria oferta ao Secretário de Estado da Agricultura, de um palacete do século XVII, no centro da Golegã foi feita em jeito de provocação. “Só me manifestei depois de ver a inépcia e inércia da Câmara de Santarém”.Provocações à parte, Veiga Maltez considera que a Golegã é o melhor local para instalar a secretaria de Estado. Argumenta que no concelho está instalada uma das maiores associações de agricultores AGROMAIS, destaca o facto da vila ser considerada um símbolo da produção agrícola nacional e destaca as acessibilidades.A posição do presidente da Golegã surge na sequência das declarações do vice-presidente da Câmara de Santarém, Manuel Afonso (PS), ao jornal Correio da Manhã. Na edição de sexta-feira, o vereador dizia que “a autarquia não tem imóveis para receber uma estrutura deste género”“Num dia arranjei um edifício, o que Santarém ainda não conseguiu fazer desde que o Governo tomou posse”, comentou Veiga Maltez. E acrescenta que “com esta inércia a capital de distrito arrisca-se a perder a instalação da secretaria de Estado”. Se isso acontecer o autarca da Golegã só espera que a estrutura fique sedeada numa localidade do distrito. As dificuldades em instalar a SEA devem-se em grande parte à falta de apresentação de alternativas por parte da autarquia de Santarém. O próprio secretário de Estado da Agricultura, David Geraldes, diz que “se houvesse um espaço disponível em Santarém já podia estar instalado na capital de distrito”.Comentando para O MIRANTE a oferta da Golegã, o secretário de Estado da Agricultura, David Geraldes, reconhece o esforço e dedicação do presidente da autarquia, mas lembra que a as Secretarias de Estado irão ficar nas cidades capitais de Distrito.O vice-presidente da Câmara de Santarém não quis comentar a posição do presidente da Golegã. Mas Manuel Afonso ressalva que tem feito tudo para ajudar a encontrar uma solução. Exemplificou que se a câmara tivesse instalações disponíveis já tinha mudado alguns funcionários municipais que trabalham em condições precárias. PSD repudia posição da Câmara de SantarémA concelhia do PSD e os vereadores sociais-democratas de Santarém, através de uma nota à imprensa, repudia a posição da câmara municipal. E consideram que a autarquia já devia ter criado todas as condições para a instalação da SEA, em vez de “cruzar os braços” e limitando-se a dizer que “a câmara não tem imóveis”. O PSD recorda que situações destas já levaram a que Santarém perdesse o Tribunal Administrativo para Leiria. Os sociais-democratas comprometem-se a fazer tudo para que a secretaria de Estado seja instalada em Santarém, “contrariando a acção passiva e desinteressada da Câmara de Santarém”, diz a nota.
Presidente da Câmara da Golegã critica inércia de Santarém

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...