uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Secretaria de Estado da Agricultura no edifício do CAE

Secretaria de Estado da Agricultura no edifício do CAE

David Geraldes exclui CNEMA e Estação Zootécnica

O edifício onde ainda funciona o Centro da Área Educativa de Santarém é o que reúne melhores condições para acolher a Secretaria de Estado da Agricultura. As hipóteses CNEMA e Estação Zootécnica Nacional estão postas de parte.

Edição de 04.08.2004 | Política
O edifício do Centro da Área Educativa (CAE) em Santarém é a hipótese mais provável para instalar a Secretaria de Estado da Agricultura (SEA). A decisão será tomada nos próximos dias. A informação foi dada a O MIRANTE pelo secretário de Estado da Agricultura, David Geraldes. As instalações do CAE, na zona de S. Bento, junto à escola secundária Sá da Bandeira, estão em fase de desactivação em virtude da reformulação do funcionamento das estruturas do Ministério da Educação. Apesar de ser a hipótese quase certa, a última palavra será do ministro da Agricultura, após visitar o local. Algumas alternativas foram já postas de lado. É o caso da Estação Zootécnica Nacional, na Fonte Boa, Santarém, que, no entender de David Geraldes, não reúne as condições mínimas para a instalação dos serviços. O governante lembra que há cerca de 10 anos houve a ideia de instalar ali a Direcção Regional de Agricultura e já nessa altura se concluiu que era necessário construir um edifício de raiz. As instalações do Centro Nacional de Exposições também já saíram da lista de hipóteses devido à exiguidade de espaço. Mas o facto do centro ser gerido pela Confederação dos Agricultores de Portugal (CAP), também pode ter estado na origem da decisão. Segundo o secretário de Estado da Agricultura, se a opção recair no CAE, as instalações terão que ser adaptadas e reformuladas. Aliás, em seu entender não há nenhum edifício preparado e com condições de habitabilidade disponível em Santarém para instalar de imediato os seus serviços.David Geraldes sublinhou a O MIRANTE que o impasse deve estar resolvido dentro de quatro dias no máximo. Já que a secretaria de Estado está a funcionar a meio gás. “O gabinete está a trabalhar com o mínimo de pessoal porque não faz sentido estar a contratar funcionários enquanto não se decidir a localização”, justificou. Os funcionários da secretaria de Estado, como assessores e coordenadores, vão ser recrutados na região. Para David Geraldes, que era até à sua nomeação para o Governo Director Regional de Agricultura do Ribatejo e Oeste, não faz sentido estar a contratar pessoas em Lisboa, quando a secretaria está em Santarém.
Secretaria de Estado da Agricultura no edifício do CAE

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...