uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Estrada da termoeléctrica à espera de arranjo

Estrada da termoeléctrica à espera de arranjo

Comerciantes de Azambuja queixam-se do mau estado do pavimento

A chamada “estrada da termoeléctrica” que liga Vila Nova da Rainha ao mercado abastecedor de Castanheira do Ribatejo vai levar um novo tapete de alcatrão. As obras já foram adjudicadas e só falta o visto do tribunal de contas para arrancarem. A grantia é dada pelo presidente da câmara de Alenquer.

Edição de 04.08.2004 | Sociedade
Os comerciantes do concelho de Azambuja queixam-se do mau estado da chamada estrada da termoeléctrica, que liga Vila Nova da Rainha ao mercado abastecedor da Castanheira do Ribatejo, no município vizinho de Alenquer.Há vários anos que os comerciantes de Azambuja, que efectuam aquele percurso várias vezes por semana, enfrentam um troço de estrada desnivelada, repleta de buracos e com bermas baixas.Maria Fernanda Gutierres, 56 anos, vendedora no mercado diário de Azambuja, utiliza a estrada sempre que vai abastecer-se, mas quando regressa carregada de mercadoria é obrigada a evitar o caminho alternativo e a suportar o intenso movimento da Estrada Nacional 3.A comerciante queixa-se que na estrada passam muitos veículos com mais de cinco toneladas de peso, apesar de ser proibido, o que por vezes obriga os automóveis a encostar à berma. “É rara a semana em que não se vê um carro na valeta”, assegura.Há cerca de dois anos foi Maria Gutierres quem ficou presa na berma. “Passou um camião com dois atrelados e ao fazer a curva fui parar à vala. Teve que vir um reboque buscar-me”, recorda. O arranjo do veículo custou-lhe mais de 600 euros. Maria Gutierres teme que os novos armazéns que estão a surgir perto do local sirvam para deteriorar ainda mais o pavimento, que se vai degradando a cada dia que passa.Manuel Rosa, 52 anos, proprietário de um mini-mercado no centro de Azambuja, sente as mesmas dificuldades. “Vou sempre por aquela estrada para evitar o cruzamento do Carregado, onde é preciso estar muito tempo à espera. Se a estrada estivesse melhor mais gente passaria lá e isso ajudaria a não sobrecarregar tanto o Carregado”, argumenta.Os comerciantes consideram que pelo movimento que se regista a estrada já merecia um novo tapete de alcatrão e a construção de bermas para reforçar a segurança de quem ali transita.Com a chegada das chuvas que enchem de água os buracos que se multiplicam no alcatrão os utilizadores do trajecto temem que a situação se agrave ainda mais, tornando o troço da estrada definitivamente intransitável.A estrada de campo é utilizada por muitos comerciantes e particulares que procuram uma alternativa para chegar à Castanheira, sem passar pela movimentada estrada nacional. O caminho serve também os funcionários da Central Termoeléctrica do Carregado.O MIRANTE contactou o presidente da Câmara Municipal de Alenquer, Álvaro Pedro, que garantiu que as obras de arranjo da estrada deverão arrancar no próximo mês. O empreiteiro que irá executar a obra já está escolhido e falta apenas a luz verde do Tribunal de Contas.A intervenção prevê o alargamento da vila, a colocação de um novo tapete de alcatrão entre a central termoeléctrica e Vila Nova da Rainha e o arranjo das bermas. “Andamos a tentar remediar, mas agora avançámos para uma intervenção completa”, declarou.
Estrada da termoeléctrica à espera de arranjo

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...