uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante

Matou a mulher e suicidou-se

Família desfeita em Benavente
Edição de 04.08.2004 | Sociedade
Um homem de 38 anos matou a companheira com um tiro de caçadeira na cabeça e suicidou-se de seguida com outro tiro que lhe atingiu o cérebro. A tragédia aconteceu na tarde de segunda-feira, 2 de Agosto, cerca das 17h30, em Benavente.Leonel de Oliveira Rijo, residente na Várzea das Vinhas, em Samora Correia, deslocou-se na companhia da mulher Carla Ferreira de 29 anos para um local ermo com o propósito de irem conversar. A tragédia aconteceu junto do Canal do Sorraia, na Sesmaria do Pinheiro e quando os Bombeiros Voluntários de Benavente chegaram ao local já não puderam fazer nada.No carro, Leonel deixou um bilhete dirigido ao filho do casal de 11 anos onde justificava o acto com o facto da vida do casal não correr bem. Na mensagem, o homem confiou todos os bens ao legítimo herdeiro.Leonel Rijo, conhecido por “palhaço” era um homem educado, trabalhador, mas que nunca teve muita sorte na vida. Nasceu no seio de uma família pobre e numerosa em Samora Correia, cresceu com muitas dificuldades e chegou a andar pelos caminhos tortuosos da toxicodependência. Os amigos garantem que nunca roubou nem fez mal a ninguém e que desde que constitui família mudou e tornou-se mais responsável. Quem conhecia o casal reconhece que davam-se bem, mas tinham as suas discussões, muitas vezes geradas pelas dificuldades com que viviam. Um amigo do casal explicou que estavam zangados há duas semanas e que se tinham encontrado com o objectivo de esclarecer algumas dúvidas. Mas Leonel cansou-se de viver e, antes de pôr termo à vida, matou a companheira.Os corpos foram transportados pelos bombeiros para a morgue de Benavente onde deverão ser autopsiados. A brigada de homicídios da Polícia Judiciária esteve no local, recolheu impressões digitais e outros dados e está a investigar a situação. Uma fonte envolvida no processo garantiu que não restam dúvidas de que estamos perante um homicídio seguido de suicídio. Quanto às motivações da tragédia, dificilmente serão apuradas.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...