uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Alverca vence torneio de Abrantes

Alverca vence torneio de Abrantes

Equipa da casa bateu o pé aos grandes e ficou na segunda posição

Alverca e Abrantes FC relegaram Académica de Coimbra e União de Leiria, da Superliga, para os últimos lugares do torneio realizado no fim de semana na cidade abrantina. Na final, o Alverca levou a melhor, mas só marcou quando o Abrantes ficou sem pernas. Pedro Roldão, jovem defesa do AFC, foi o melhor jogador do torneio.

Edição de 18.08.2004 | Desporto
O Alverca ganhou o terceiro torneio quadrangular “Cidade de Abrantes”, prova que se realizou no sábado e domingo no estádio municipal daquela cidade ribatejana. A equipa agora orientada por José Lima ganhou 1-0 ao União de Leiria, no sábado e, no domingo, venceu 2-0 o Abrantes, que no dia anterior tinha derrotado a Académica de Coimbra por 1-0.As duas equipas ribatejanas fizeram assim excelente figura frente a duas formações que jogam na SuperLiga e que embora tenham deixado alguns titulares a descansar, sobretudo os leirienses, que estão a discutir a passagem à Taça Uefa, trouxeram a Abrantes alguns dos seus jogadores mais experientes.No jogo decisivo, realizado no domingo ao final da tarde, Alverca e Abrantes protagonizaram o desafio mais interessante do torneio, com a vitória a sorrir à equipa do sul do Ribatejo, por 2-0. Golos que apenas foram marcados no último quarto de hora, quando os locais, que só apresentaram 15 jogadores nos dois jogos, se ressentiram de jogar 180 minutos em pouco mais de 24 horas.Ao contrário, o Alverca, que levou ao torneio 21 jogadores, apresentou equipas distintas num e outro jogo, com Pedro Neves a ser o único a repetir a chamada ao onze inicial. Frente ao Abrantes, José Lima colocou Ernesto na baliza, a defesa foi formada por Marco Airosa (direita), Comboio e Pedro Neves no meio, e Júnior à esquerda. No meio campo, Margaça e Celson foram os jogadores mais defensivos, jogando atrás de Osvaldo. Dudu, à direita, Carolo, à esquerda, e João Martins, no meio, foram os homens mais avançados.Do lado do Abrantes, com quatro jogadores tocados (Telmo, Delmoro, Afonso e Edgar) e Santana ainda de férias, Vítor Alves, colocou em campo praticamente o mesmo onze que vencera no sábado a Académica. As únicas alterações foram Nuno Ribeiro, que substituiu Vítor Bernardes na baliza, e as entradas de Lucas e Gonçalo Santos para os lugares Bruno Lemos e Hamilton, no meio campo, e de Milton, para o lugar de Leandrão, no ataque.Enquanto teve pernas, o Abrantes jogou de igual para igual com o Alverca. A primeira oportunidade de perigo surgiu aos 17 minutos, com Gonçalo Santos a realizar uma excelente jogada pela extrema e a cruzar para a zona central, onde Milton não conseguiu desviar. Praticamente na jogada seguinte, Toni, um dos novos reforços do Abrantes que mais deu nas vistas, rematou potente, com Ernesto a defender para canto.À passagem dos vinte minutos, o Alverca aumentou a pressão, passando a defender logo que a bola saia do guarda-redes, causando dificuldades ao adversário e assumindo o controlo da partida. Mas o domínio não se traduziu em perigo junto da baliza de Nuno Ribeiro, quer por desinspiração do ataque, quer pela consistência da defesa do Abrantes, que jogou com três centrais (Roldão, Luís Carlos e Cristiano) e dois laterais (Bruno Ferreira e Sérgio Morujo), que fechavam as alas sempre que necessário.O empate ao intervalo ajustava-se ao que se tinha passado nas quatro linhas e o equilíbrio manteve-se durante a maior parte do jogo. Até que, aos 78 minutos, Nuno Ribeiro precipitou-se e derrubou um adversário dentro da área. Jacinto Paixão assinalou grande penalidade, que Pedro Neves não desperdiçou.O Abrantes ainda tentou reagir, mas as forças já faltavam a muitos jogadores e o Alverca controlava bem a bola, fazendo-a circular entre os seus jogadores. O golpe final foi dado por Miguel Bruno, a quatro minutos do final do tempo regulamentar que, de livre directo, fez o 2-0, resultado final.Pelo que fizeram neste torneio, Alverca, que renovou quase por completo o plantel, e Abrantes, que manteve a maior parte dos jogadores, deixam boas indicações para os seus adeptos, sobretudo os locais, que, recorde-se, eram a equipa do escalão mais baixo, e que podem ser a grande surpresa da Zona Centro da II Divisão B.No jogo de apuramento dos terceiro e quarto classificados, a Académica de Coimbra bateu o União de Leiria por 1-0, golo apontado por Joeano, aos 24 minutos da primeira parte. Refira-se que os estudantes jogaram mais de uma hora com menos um jogador, por expulsão do lateral esquerdo Pedro Henriques.A organização do torneio, a cargo do Abrantes Futebol Clube, esteve praticamente impecável em todos os sectores e, além de taças às equipas, distribuiu prémios ao melhor jogador (Pedro Roldão, defesa do Abrantes de apenas 18 anos), melhor marcador (Miguel Bruno, do Alverca, com dois golos), melhor guarda-redes (Vítor Bernardes, do Abrantes) e à equipa com mais fair-play (Abrantes FC).Treinadoressatisfeitosesperam porum reforçoNo final do torneio, o estado de espírito dos treinadores do Alverca e Abrantes era semelhante. Ambos estavam satisfeitos com as exibições das suas equipas ao longo dos dois jogos. Mais José Lima, técnico dos vencedores, que considera a vitória importante em termos de motivação mas destaca a possibilidade que teve de dar tempo de jogo aos jogadores disponíveis.Fazendo um balanço desta pré-época, o treinador do Alverca diz que se está a aperceber que a equipa está a ganhar mais automatismos, o que é bom para o colectivo e que será fundamental para ir ganhando jogo a jogo.Antes do início do campeonato o Alverca ainda deverá contratar mais um jogador para ocupar o lugar de avançado direito. José Lima não abre o jogo, mas um dos nomes mais falados tem sido o de Xano, jogador que se desvinculou recentemente do Salgueiros.Por seu lado, Vítor Alves, treinador do Abrantes, considera que os objectivos para este torneio foram conseguidos e que a sua equipa não foi inferior a nenhum dos seus adversários, apesar de serem equipas de escalões superiores.“A vitória está bem entregue ao Alverca, porque foi a equipa mais produtiva e que menos golo sofreu. Limitámo-nos a gerir 15 jogadores em dois jogos realizados num prazo de 24 horas, mas penso que correspondemos”, afirmou o técnico, que se recusa a entrar em grandes euforias relativamente à prestação do clube na II Divisão B.“É um campeonato que o clube vai disputar pela primeira vez. Tudo vai ser novo para estes jogadores, mas não vamos querer subir fasquia alguma. Vamos incutir-lhes força mental para tentar ganhar todos os jogos, mas sabemos que isso não vai ser possível e para se ganhar também é preciso saber perder”.Para que o plantel fique mais competitivo e equilibrado, Vítor Alves considera que é importante contratar mais um jogador, para ocupar uma posição que não quis revelar. “É provável que possa haver aqui uma lacuna que tem de ser tratada com a direcção”, concluiu.
Alverca vence torneio de Abrantes

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...