uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Máquina por olear

Máquina por olear

Vilafranquense mostrou-se a sócios e simpatizantes perante o Benfica B (0-2)

O Vilafranquense apresentou-se sábado a simpatizantes e associados com uma derrota frente ao Benfica B por 2-0. Mais que perder, a equipa de Carlos Pedroso não conseguiu fazer jogadas com princípio, meio e fim, com os jogadores e necessitarem de mais trabalho colectivo. E vem aí o primeiro jogo a doer para o campeonato frente à Sanjoanense.

Edição de 18.08.2004 | Desporto
A União Desportiva Vilafranquense perdeu com o Benfica B na apresentação da equipa no campo do Cavadeiro, em Vila Franca de Xira. Mas a tarde de sábado merecia uma verdadeira apresentação às cerca de cem pessoas que preferiram ver futebol a aproveitar um bom dia de praia. É que, com uma equipa totalmente nova, sócios e simpatizantes mereciam uma entrada jogador a jogador para os ficarem a conhecer. Assim viu-se apenas futebol e de qualidade medíocre.Com 20 novos atletas, o Vilafranquense apresentou-se com vontade frente a uma equipa de juniores do Benfica, mas cometeu muitos erros, especialmente no passe. Carlos Pedroso apresentou João Godinho na baliza, com um quarteto na sua frente: João Ferreira, Marco Ramos, Fábio Inverno e Sérgio Pereira. No meio campo actuaram Bruno Antunes, Nelson e Macieira, com Rui Oliveira, Miguel Pinheiro e Helder na frente do ataque.E desde logo foi Sérgio Pereira (ex-Estoril) que se destacou mais a subir no corredor lateral esquerdo, a par de Nelson (ex-1.º Dezembro), que foi extremo direito. Na baliza, João Godinho deu boa conta do recado nas três subidas dos encarnados à área vilafranquense.Em termos atacantes, pouco se viu da equipa da casa durante o primeiro tempo. Rui Oliveira (ex-Castanheira) foi o mais esforçado, mas nunca conseguiu entender-se bem com Rui Oliveira e Hélder (ambos ex-Castanheira). O resultado foi o nulo ao intervalo.No reinício de jogo, Carlos Pedroso realizou quatro alterações, com a entrada de Rui Pereira (ex-Boavista Açores) para a baliza, além de Artur (ex-Vialonga), Peixoto (ex-Loures) e Pedro Pedroso (ex-Ponterrolense).E foi dos dois últimos que veio a melhor jogada do Vilafranquense na partida, com Pedro Pedroso a fazer um excelente passe na diagonal a rasgar a defensiva adversária, onde Peixoto ganhou em velocidade para rematar para defesa de Janota.Mas apesar de alguma melhoria, o colectivo não funcionava e foram os encarnados a marcar aos 78 minutos, por Manuel Curto, após perdida infantil a meio do meio campo do Vilafranquense, que originou um cruzamento fatal para o avançado concretizar. O 2-0 veio dois minutos depois com um “tiro” de Fernando Alex a 30 metros da baliza do desamparado Rui Pereira. Carlos Pedroso deu bastantes palavras de ordem para dentro do campo, com acento na rapidez da transição da bola e no passe, além de rigor nas marcações, mas os jogadores estiveram em dia não.O último sinal de perigo, antes do apito final, foi dado por Rui Oliveira que rematou forte após livre directo para boa defesa do guarda-redes encarnado.Para construiruma equipaé preciso tempoNo final da partida o técnico Carlos Pedroso desdramatizou a derrota e a exibição menos conseguida dos seus pupilos, recordando que não é de um dia para outro que se constrói uma equipa. “Jogámos com uma boa equipa, que se conhece bem há vários anos e com um bom ritmo de jogo. Esperava mais do Vilafranquense mas isto só significa que há muito trabalho pela frente”, analisou.O técnico diz não se prender a uma táctica específica, preferindo adaptar cada esquema às características de jogadores e dos jogos, salientando que importante é a dinâmica e interacção que se criam.No que respeita ao plantel, Carlos Pedroso referiu que o que existe é aquele com que vai trabalhar, dentro das possibilidades do clube, que não pode ir buscar jogadores mais experientes, mas estando sempre atento a qualquer possibilidade.Depois do encontro com o Benfica, o Vilafranquense prossegue a pré-época, recebendo o Vialonga (quinta-feira, 19 Agosto, às 19 horas) e o Casa Pia, sábado, a partir das 17 horas.O campeonato da Segunda Divisão B – Zona Centro inicia-se a 29 de Agosto e o Vilafranquense tem uma deslocação difícil ao campo da Sanjoanense, crónico candidato à subida. Carlos Pedroso antevê dificuldades mas promete que a equipa vai dar luta.
Máquina por olear

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...