uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Bicicletas com pouca pedalada

Bicicletas com pouca pedalada

Veículos disponibilizados pela Câmara da Barquinha não cativaram população

A Câmara da Barquinha adquiriu 200 bicicletas para colocar ao dispor da população. A adesão foi fraca, os actos de vandalismo surgiram e hoje a maior parte dos velocípedes encontra-se fora de circulação, longe da vista dos potenciais ciclistas.

Edição de 18.08.2004 | Sociedade
Três bicicletas esperam, encostadas a uma parede num pátio interior do Centro Cultural de Vila Nova da Barquinha, que alguém as requisite para um passeio pelas ruas da vila. Os veículos fazem parte de um lote de 200 bicicletas que o município local adquiriu em 1999 ao abrigo do Programa Life, financiado com fundos da Comissão Europeia. A intenção era fomentar a utilização dos velocípedes pela população de forma gratuita. Mas a maior parte dos veículos acabou por ser guardada para prevenir actos de vandalismo que entretanto surgiram, enquanto algumas dezenas foram oferecidas a alunos das escolas do concelho. A verdade é que pelas ruas da vila nunca mais se viu ninguém a andar nas bicicletas da câmara.Barquici foi a denominação escolhida pela Câmara Municipal de Vila Nova da Barquinha para o programa de incentivo ao cicloturismo, tendo em vista a preservação do meio ambiente e o apelo a uma vida mais sadia. Mas o projecto teve pouca adesão.Em linhas gerais, a iniciativa, custeada com dinheiros da comunidade europeia, pretendia cativar a comunidade escolar e fomentar o cicloturismo, emprestando as bicicletas a quem as requisitasse mediante a apresentação do bilhete de identidade. Previa ainda a colocação de suportes para os veículos em vários pontos do concelho para os amantes deste meio de transporte deixarem as suas bicicletas em local apropriado.Quatro anos depois só o primeiro dos objectivos teve alguma continuidade. Os alunos das escolas que participam na preservação ambiental através da recolha de objectos poluentes, pilhas e latas, têm sido premiados com uma dessas bicicletas azuis e, desde 1999, já foram atribuídas algumas dezenas.Também entre os participantes dos passeios turísticos organizados pela câmara municipal era sorteado no final do percurso um desses veículos. Cada cicloturista tinha um número de inscrição e o sorteio era feito através dessa numeração, sendo que cada participante só poderia “ganhar” uma bicicleta, mesmo que se inscrevesse em todos os passeios e o seu número fosse retirado várias vezes. A iniciativa perdeu-se dois anos depois do projecto ter sido iniciado.Por outro lado, os suportes colocados em vários pontos do concelho, desde o Centro Cultural a juntas de freguesia, passando por restaurantes, estão vazios, nem as bicicletas do Barquibici nem os poucos utilizadores deste meio de transporte os utilizam.Para qualquer interessado que ainda se lembre do programa estão três bicicletas guardadas num pátio interior do Centro Cultural. Das restantes 197, algumas dezenas foram entregues aos alunos das escolas e aos participantes nos passeios e as outras estão guardadas em instalações camarárias a precisarem em muitos casos de reparação.O responsável pelo projecto já não trabalha na Câmara da Barquinha e o processo passou para a responsabilidade do vereador Rui Constantino que, presentemente, está de férias. Ao certo não foi possível saber onde estão as outras bicicletas. Podem estar nas oficinas ou noutras quaisquer instalações camarárias à espera de melhores dias. Porque, pelo menos, para o público em geral a Barquibici não atingiu os objectivos.Margarida Trincão
Bicicletas com pouca pedalada

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...