uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Chegou a hora do futebol no Meiaviense

Chegou a hora do futebol no Meiaviense

Clube da Meia Via (Torres Novas)

Com o clube administrativamente organizado e financeiramente saneado, a direcção do Meiaviense quer agora apostar no futebol sénior. O objectivo da equipa, que este ano subiu à primeira divisão distrital, é morder os calcanhares aos primeiros. Os responsáveis do Operário só lamentam que não haja mais apoios da Câmara de Torres Novas e acusam o presidente da autarquia de prometer muito e cumprir pouco.

Edição de 01.09.2004 | Desporto
O Clube Desportivo Operário Meiaviense, de Meia Via, Torres Novas, apresentou na sexta-feira, dia 27 de Agosto, os jogadores que compõem o plantel de futebol sénior do clube para a época de 2004/2005. Um plantel com espírito de conquista que tem faltado às equipas que nos últimos anos têm representado o Operário. O presidente da direcção, Vasco Sénica, tem uma explicação para essa falta de espírito de conquista. Quando a sua direcção tomou conta do clube, há cerca de três anos, encontrou-o em completa desorganização técnica e financeira, com vários milhares de euros de dívidas. Por isso a prioridade foi a de organizar e sanear financeiramente a associação. Essa fase está pronta e agora chegou a hora de organizar o futebol sénior e formar uma equipa pensada e estruturada para representar dignamente o Operário Meiaviense.Na apresentação do plantel, que apesar de tudo apenas tem como objectivo proporcionar bons espectáculos aos associados, Vasco Sénica garantiu que neste momento o Operário Meiaviense é um clube organizado na sua gestão. “Pagámos as dívidas que encontrámos, fizemos algumas obras na sede e no bar do clube, que ficou com condições para os sócios o usarem, e as obras aqui no campo, que passam pela criação de estruturas de apoio a jogadores, treinadores e equipa médica, ficarão prontas ainda antes do início da época”, disse o presidente com satisfação.“Queremos morder os calcanhares aos candidatos à subida, mas não estamos obcecados por outros objectivos, porque temos os pés bem assentes no chão, e os apoios oficiais são muito poucos. Nem para as obras tivemos qualquer apoio da Câmara Municipal de Torres Novas. O presidente promete muito mas cumpre pouco. Esquece-se muito das aldeias como a Meia Via”, referiu Vasco Sénica.Por isso e segundo o presidente da direcção, a constituição de uma equipa devidamente estruturada tem como objectivo levar o nome do clube até às entidades oficiais, porque ainda há muita coisa por resolver. “Nem sequer ainda temos o campo de futebol na posse do Operário”, revelou Vasco Sénica, que rematou referindo que a resolução do problema do campo de futebol vai ser agora a grande prioridade da direcção. “São anos a mais para resolver um problema que devia ter ficado decidido oficialmente logo na altura da construção deste novo campo”, acrescentou.O plantel que vai ser colocado à disposição do treinador Mário Domingos e do seu adjunto Rui Matreno é composto pelos seguintes jogadores: José Manuel, Banana, Carlitos, Gonçalo, Joel, Marito, Silvestre, Ruben, Vasco e Cazuza, que transitam da época passada. João Pereira (ex-Assentis), Mário Rodrigues, que regressa depois de uma paragem, Orlando (ex-Carregueirense), Pedro Silva, Moita e Violante (Ex-Parceiros), Pinto e Paulo Gomes (ex-Monsanto).
Chegou a hora do futebol no Meiaviense

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...