uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Urgências nocturnas continuam

Urgências nocturnas continuam

Administração Regional de Saúde reconsiderou intenção de acabar com o serviço em Azambuja

O serviço de atendimento nocturno no Centro de Saúde de Azambuja, que se encontrava em risco devido à falta de clínicos, vai ser retomado a partir da segunda quinzena de Setembro. A decisão da Administração Regional de Saúde calou os protestos que se verificaram no concelho

Edição de 01.09.2004 | Sociedade
A Administração Regional de Saúde (ARS) de Lisboa e Vale do Tejo recuou na intenção de acabar com as urgências nocturnas no Centro de Saúde de Azambuja e vai continuar a assegurar o serviço entre as 22h00 e as 08h00, divulgou essa entidade na semana passada.Em causa estava a idade dos treze médicos que ali prestam serviço, muitos dos quais já ultrapassaram os 55 anos e têm por isso direito a isenção de trabalho nocturno, o que impossibilitaria a continuação das urgências a partir de Setembro.A laboração contínua de muitas unidades industriais do concelho de Azambuja poderá ter levado a Administração Regional de Saúde a repensar o encerramento nocturno do Centro de Saúde a partir de Setembro. Assim como a distância a que ficam algumas zonas do município do hospital de Vila Franca de Xira, que se encontra já por si sobrecarregado.A notícia, avançada em Julho, de que o serviço permanente poderia estar em causa deu origem a uma onda de protestos que mobilizou centenas de populares do concelho. Um abaixo-assinado com 2500 subscritores e um cordão humano em frente à unidade de saúde foram algumas das iniciativas promovidas pelo Movimento Cívico contra o encerramento do Centro de Saúde de Azambuja.No final de Julho a associação comercial Acisma e o jornal Malaposta organizaram um debate sobre o futuro do centro de saúde, que contou com a presença da coordenadora da Sub-Região de Saúde de Lisboa, Sílvia Graça, que ouviu os protestos dos populares e prometeu dar resposta até final de Agosto.O presidente da Câmara de Azambuja, Joaquim Ramos (PS), mostra-se satisfeito com a decisão da ARS e confessa que saiu do debate realizado em Julho convencido de que haveria hipóteses de manter o centro aberto à noite. “A evolução positiva que houve só poderia ter chegado a esta conclusão”, reconhece, adiantando que a câmara enviou também à ARS informação sobre o número de trabalhadores que laboram em horário nocturno no concelho e que ascendem a 2500.À semelhança do ano passado, o serviço não funcionou em horário nocturno durante o mês de Agosto, mas voltará a reabrir na segunda quinzena de Setembro. Em Novembro o centro de saúde deverá também começar a funcionar nas novas instalações.O nosso jornal contactou a Sub-Região de Saúde de Lisboa para saber que solução foi encontrada para impedir o encerramento do serviço nocturno do Centro de Saúde de Azambuja, nomeadamente quantos clínicos serão contratados para garantir a continuidade do serviço, mas até ao fecho da edição não obtivemos qualquer resposta.
Urgências nocturnas continuam

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...