uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante

Challenge de Abrantes juntou 173 nadadores

Edição de 08.09.2004 | Desporto
O nadador olímpico português Fernando Costa, do Leixões, que o mês passado representou Portugal nos Jogos Olímpicos de Atenas, na Grécia, venceu a prova de dez quilómetros do segundo Challenge Open Water, que decorreu no sábado de manhã no centro náutico de Aldeia do Mato (Abrantes), na margem da albufeira de Castelo do Bode.Fernando Costa superiorizou-se aos seus doze adversários na distância mais longa do Challenge, que incluiu outras duas provas mais curtas. A de 5.000 metros foi ganha por João Cavaleiro, do Belenenses, que foi o primeiro entre 60 concorrentes, enquanto Ricardo Pedroso, do Algés e Dafundo, nadador que participou nos Jogos Olímpicos de Barcelona, foi o melhor na prova de 1.500 metros, em que participou uma centena de nadadores de todas as idades.As três provas realizaram-se em plena albufeira de Castelo do Bode com os nadadores a terem de cumprir um percurso previamente delimitado por bóias.Entre presentes esteve Nair Gomes de Sá, da Associação de Natação dos Estoris, uma nadadora que já entrou na casa dos sessenta anos de idade, mas que ainda tem folgo para nadar um quilómetro e meio nas águas profundas de uma barragem.“Não é muito difícil. Nos treinos na piscina fazemos sempre mais. Vou num ritmo mais ou menos certo e faz-se bem. O pior é quando a água está fria”, disse a sexagenária à nossa reportagem.Para Nair Gomes, mais difícil que a distância é a sensação de solidão que se sente quando se olha para terra e parece que nunca mais se chega à margem, uma situação bem diferente da que se vive na piscina. “Às vezes paro e falo com os barqueiros”, confessou a O MIRANTEEsta foi a sétima prova em águas abertas (fora da piscina) que a atleta dos Estoris realizou este ano. Nunca luta para a classificação e é frequente ficar em último lugar, como aconteceu em Abrantes. Mas para esta jovem de espírito o importante não é a competição. “É uma sensação de grandeza e sentimos que estamos a vencer um desafio”, explica.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...