uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

Frederico Lopes "Fred", 20 anos, SL Cartaxo

CROMOS DA BOLA

Começou a carreira de jogador na “cantera” de formação da Académica de Santarém e acabou por receber convites de outros clubes. Passou pelo U. Almeirim, U. Leiria, Acad. Viseu e Marinhense, ambos na Segunda Divisão B. Desde o início da época está no Cartaxo e espera voltar às grandes exibições. Com um estilo próprio de dar tudo até ao apito final.

Edição de 08.09.2004 | Desporto
Joga sempre da mesma maneira num campo relvado ou num pelado?Não. Há sempre diferenças. As condições não se comparam. Uma entrada mais dura põe o adversário em sentido?Depende do estado psicológico do jogador e do clima que haja na partida. Não faço nada de propósito. Às vezes acontece haver jogadas mais duras mas faz parte do jogo. Se não for titular ficar aborrecido?Não, mas cada vez mais motivado para trabalhar e ganhar o meu lugar. O mesmo acontece se não for convocado.Já lhe aconteceu alguma coisa fora do vulgar durante um jogo?Por acaso há dois anos, quando estava no Académico de Viseu, o público estava mesmo juntinho ao campo. Senti uma mão da bancada a puxar-me contra a vedação. Nessa altura virei-me contra o público, mas foi do momento. Acho que não volta a acontecer.Quando há confusão entre jogadores mete-se ao barulho?Sou um bocadinho de me meter ao barulho mas já estou mais controlado nesse aspecto a conselho dos treinadores. É para o meu bem e da equipa, chegando ao fim dos jogos.Um jogador das provas distritais e nacionais já ganha para fazer umas brincadeiras?Cada qual faz o seu contrato mas é capaz de se ganhar o suficiente para si e para a sua vida. A terceira divisão pode ser amadora mas há contratos profissionais.Já pôs algum jogador a sofrer na sequência de um livre directo?Gosto de marcar livres mas que me lembre não. Já aconteceu acertar num jogador e ele ficar a queixar-se um bocado mas nada de grave. Nos escalões mais novos era uma especialidade. Depois deixei de marcar. Mas é das coisas que gosto de fazer.O que é pior: um árbitro que marca tudo ou que não assinala nada?Há vantagens e desvantagens nisso. O melhor é aquele que actua num meio-termo e para ambas as equipas.Qual foi o jogo que lhe correu melhor?Lembro-me que fiz um hat-trick num jogo de juvenis com a Académica de Santarém. Mas mais que um grande jogo, recordo a primeira época que fiz no Marinhense, na Segunda Divisão B, que correu bem.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...