uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante

Helena Maximino

“É um pouco difícil lidar com algumas pessoas. Irritam-se muito, andam muito enervadas, parece que não estão bem com a vida. Chegam ao café, às vezes estão de férias, não têm muito para fazer, mas continuam impacientes”

38 anos, empregada de balcão, Torres Novas

Edição de 15.09.2004 | Agora falo eu
As telenovelas preenchem grande parte dos serões televisivos. Costuma ver?Não, disso não gosto nada. Mudo de canal e se não houver nada de jeito desligo a televisão. As telenovelas têm sempre a mesma história: duas famílias, uma pobre e outra rica, começa a andar tudo embrulhado e depois acaba tudo em bem.É uma pessoa caseira ou gosta de andar na rua?Gosto muito de passear, não gosto muito de estar em casa. Nunca gostei, nem em pequena.A solidão assusta-a?Não penso muito nisso. Mas acho que não me deve assustar porque eu gosto de estar sozinha e, se assim é, não me traz qualquer problema a solidão, pelo menos por enquanto. Mais tarde não sei. Muitas pessoas acham estranho viver-se sozinha. A mim não me faz diferença nenhuma, nem nunca deixei de ir a qualquer sítio por estar sozinha. Passou as férias deste ano no campo ou na praia?Habitualmente vou para a praia, mas este ano optei pelo campo. Passei pelo norte do país.Onde é que gostava de ir?Ao Brasil. Não pelas telenovelas, mas pelo calor. Gosto muito de calor, penso que é por isso. Isto no que se refere a países, porque primeiro queria ir aos Açores e à Madeira. Estive para ir este ano, mas não pude tirar férias nessa altura.Torres Novas mudou nos últimos anos?Mudou sim, muito. Tem melhores estradas, tem jardins... Mudou para melhor, mas ainda há muita coisa para fazer.Na sua vida profissional o que é que a irrita mais?A falta de paciência das pessoas. É um pouco difícil lidar com todas as pessoas, irritam-se muito, andam muito enervadas, parece que não estão bem com a vida. Chegam ao café, às vezes estão de férias, não têm muito para fazer, mas continuam impacientes. Trabalhar numa pastelaria foi o seu primeiro emprego?Foi, já vendi muitos cafés. Trabalho há 12 anos e sempre na mesma pastelaria.As roupas são muito importantes para si?Gosto muito. Gosto da moda e de roupas e invisto muito nisso. Mas não gosto de toda a moda e se não gosto não compro.Habitualmente faz as suas compras no mercado ou nas lojas?Nunca comprei nada no mercado, vou às lojas. Só quando era miúda e andava a estudar comprei uma peça ou outra, acho que comprei duas ou três t-shirts... Há muitos anos que não vou ao mercado, embora goste muito de comprar roupa.Trocava viver em Torres Novas por Lisboa, por exemplo?Não, há muito movimento, muita confusão... Eu até gosto de movimento e prefiro a cidade ao campo, embora tenha nascido numa aldeia. Gosto do movimento, de andar nas ruas, de ver as montras, mas não me seduz ir viver para Lisboa ou para o Porto. Ir lá fazer compras é bom. Viver não, porque as bichas de carros, as buzinadelas e aquela confusão toda irrita-me.O que é para si mais atemorizador?A morte. Nem quero pensar penso muito nisso, mas é o que mais temo. Mais do que a guerra. A morte é o fim e perturba-me.Acredita na sorte?Cada um é que faz a sua sorte, ou é o destino. Não sei o que é isso.Joga no totoloto?Não, só muito esporadicamente. E pergunto-me sempre porque diabo joguei. Nunca me sai nada.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...