uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Muito vento e pouco futebol

Muito vento e pouco futebol

Amiense venceu União de Santarém (1-0) no primeiro jogo “grande” da época

O primeiro derbie da época deixou muito a desejar. Amiense e União de Santarém ainda não têm as “máquinas” afinadas e proporcionaram um espectáculo pobre a quem assistiu ao jogo. A equipa de Amiais esteve melhor e mereceu os três pontos, apesar do golo ter nascido de um lance quase inofensivo que só uma falha colectiva da defesa e guarda-redes deixou que fosse golo.

Edição de 15.09.2004 | Desporto
O Clube Desportivo Amiense venceu o União de Santarém por 1-0 no primeiro jogo da época que opôs dois candidatos ao primeiro lugar. Talvez por se estar no início do campeonato a exibição das duas equipas deixou muito a desejar, proporcionando um espectáculo pouco interessante ao muito público que quase enchia as duas bancadas do Campo da Azenha, em Amiais de Baixo.É certo que o vento forte que se fez sentir ao longo de todo o jogo também não ajudou à qualidade do espectáculo, mas quem está habituado a ver derbies concelhios entres estas duas equipas esperava, pelo menos, mais raça e determinação de ambos os lados.A primeira parte foi uma enorme pasmaceira, só quebrada pelo caso do jogo, à passagem da meia hora. Nelson, que o ano passado jogava no União de Santarém e que este ano se transferiu para o Amiense, foi derrubado por Ganhão na área escalabitana mas nem o árbitro Mauro Costa nem o auxiliar Nuno Ferreira viram o empurrão do central unionista ao avançado da equipa da casa.A dois minutos do intervalo, Catita, que na época passada jogava no Portomosense, passou por vários adversários e rematou a rasar a barra da baliza de Rodrigo.A segunda parte começou com um remate portentoso de Matias, logo no primeiro minuto, mas o guarda-redes do União de Santarém fez a defesa da tarde, enviando a bola além da linha de fundo. Aos 50 minutos foi Cabe, de livre, a rematar forte, Rodrigo defendeu a soco e Matias, de cabeça, fez a bola passar junto ao poste.O Amiense começava a justificar o golo, que não tardou. Aos 57 minutos, numa jogada que parecia inofensiva, Cabé chutou para a baliza, o vento deu uma mão e a defesa escalabitana a outra, e o esférico acabou por entrar na baliza sem que ninguém se opusesse. Rodrigo também não ficou isento de culpas.O União de Santarém tentou reagir, Hugo Afonso, aos 72 minutos quase se isolava frente a Paixão, valendo o corte oportuno de Plim, que fez dupla na defesa com Jorge Humberto, contratado ao Abrantes. O ex-abrantino viria a estar em foco minutos depois, ao falhar a conversão de uma grande penalidade que castigou uma falta de Ganhão sobre Nelson. A bola acertou estrondosamente no poste.Os minutos finais foram de maior domínio do União de Santarém, mas era um domínio inconsequente em termos de produção ofensiva. Pedro Silva, Bruno Moita e Pedro Afonso, que formaram o ataque unionista, ainda não têm o entendimento necessário entre os três.O Amiense ganhou bem, sobretudo porque entrou melhor na segunda parte, altura em que marcou o seu golo. Catita, Parreira, Cabé e Matias foram os melhores da equipa. O trio de arbitragem falhou no lance da grande penalidade não assinalada na primeira parte a favor da equipa da casa, mas de resto decidiu quase sempre bem.
Muito vento e pouco futebol

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...