uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

Aprender a ler aos 111 anos

Professor primário disponibiliza-se para ensinar as letras à idosa de Corujo

O maior desgosto de Maria de Jesus, 111 anos feitos na sexta-feira, é morrer sem saber ler nem escrever. O desabafo, feito aos microfones da Rádio Hertz de Tomar, sensibilizou um professor primário da cidade que se predispõe a ensinar-lhe o abecedário

Edição de 15.09.2004 | Sociedade
Maria de Jesus, a 34ª mulher mais idosa do mundo, ainda não perdeu a esperança de ir para o céu a saber ler. “Agora no fim de velha já vai ser difícil”, admite. Mas se alguém a ensinar ainda é mulher para arregaçar as mangas. Apesar de ser mouca do ouvido esquerdo e de não ver bem da vista direita.“Ela foi sempre uma mulher do quero, posso e mando por isso se meter na cabeça que aprende é capaz disso”, diz a filha Maria Madalena, embora ache o sonho da mãe de difícil concretização.Talvez a filha mais velha de Maria de Jesus se engane. É que, sabendo do seu desgosto, um professor primário de Tomar disponibilizou-se para lhe ensinar o alfabeto. “Isso já eu sei”, diz a idosa com um sorriso maroto enquanto pega num livro infantil e vai anunciando em bom som as letras de cada página – “B, D, V”.Carlos Trincão foi atacado pela sensibilidade, como ele próprio confirma, quando ouviu a idosa dizer aos microfones da Rádio Hertz que a sua pena era morrer sem saber ler nem escrever. Foi por isso que, de uma forma espontânea e imediata, se disponibilizou a ajudar Maria de Jesus, cuja vida já atravessou três séculos, na concretização do seu maior desejo.“Se a senhora quiser e a família não tiver objecções não me importo nada de uma ou duas vezes por semana ir até ao Corujo ensiná-la”, diz o candidato do Bloco de Esquerda à Câmara de Tomar nas últimas eleições, que rejeita qualquer protagonismo. “Nesta situação sou apenas um professor primário sensibilizado e disponível”.Maria de Jesus sempre foi uma mulher de armas, que venceu muitos obstáculos ao longo da sua já longa vida. E a única coisa de que hoje se arrepende é de não ter ido para a escola quando o neto, Fernando Pereira, lá andava.“Nessa altura ainda era nova”. “Nova” para Maria de Jesus quer dizer por volta dos 70 anos, altura em que o neto, hoje com 57 anos, frequentava a escola primária da freguesia de Madalena. “Fui burra, bem podia então ter aprendido a ler”, diz quem hoje se cansa de passar os dias sem nada fazer. Ainda esta semana pegou numa agulha para costurar umas bainhas mas já não conseguiu enfiar a linha preta no buraco. “Se soubesse ler agora passava o tempo de volta dos livros, sempre andava entretida e morria sabedora”. As conversas de Maria de Jesus vão sempre dar à leitura e à escrita, a única coisa que a vida não lhe ensinou. Pode ser que agora o consiga, com a ajuda do professor Trincão. Afinal, como diz o povo, nunca é tarde para aprender.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...