uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante

Uma suspeita que bateu certo

Quadrilha detida em Tomar com ajuda preciosa de um cidadão

Uma quadrilha de assaltantes foi detida no dia 8, em Tomar, depois de aterrorizar meio país. Um cidadão que nada tinha a ver com caso foi o responsável pela captura do bando.

Edição de 15.09.2004 | Sociedade
Ainda hoje João Maia não sabe exactamente o que o levou a reparar nos dois jovens, na casa dos 30 anos, que circulavam na quarta-feira, 8 de Setembro, junto aos Correios de Tomar. Pode ter sido as suas “caras estranhas”, o cabelo diferente ou o facto de estarem a comentar que iam até ao Agroal. Mas foi a sua perspicácia que levou, horas depois, à detenção dos indivíduos que faziam parte de uma quadrilha criminosa.Quando soube que a velha carrinha Datsun tinha sido roubada de casa dos seus sogros, em Carregueiros, João Maia fez de imediato a ligação do roubo aos dois jovens. “Não sei bem porquê mas associei logo”, diz.Quando saiu de serviço, por volta das 16h30, e iniciou a busca ao carro do sogro, tinha quase a certeza que, a encontrá-la, seria junto dos dois rapazes por quem tinha passado de manhã. Um pressentimento que se viria a concretizar meia hora mais tarde. A Datsun estava estacionada junto às escadinhas que sobem até à capela da Nossa Senhora da Piedade, perto do Hotel dos Templários. E os dois jovens de cara estranha dirigiam-se para ela.João Maia parou o carro mais à frente e ficou à espreita. Mas os meliantes “toparam-no” e seguiram em frente. Foi aí que o cidadão decidiu ligar para a PSP de Tomar a contar o ocorrido.“Chegaram dois carros descaracterizados com seis agentes das Brigadas de Investigação”, conta, adiantando que enquanto um ficou junto à velha Datsun a tirar impressões digitais os restantes seguiram em direcção ao recinto da capela, para onde teriam ido os jovens.“Não sei o que se passou lá em cima, eu fiquei junto à carrinha com o polícia”, diz o homem que ajudou a PSP a localizar a quadrilha que, no dia anterior, tinha alegadamente apontado uma caçadeira a quatro crianças num mini-mercado em Ilha, Pombal.Pelas comunicações que a PSP ia fazendo via rádio, apercebeu-se de que havia um Fiat Uno, que tinha sido roubado no mesmo dia no Entroncamento, parado junto ao quartel dos bombeiros. E que a polícia estava de olho nele esperando que o carro a levasse à detenção dos restantes membros da quadrilha. O que veio a acontecer mais tarde.Lá em cima, no recinto da capela de Nossa Senhora da Piedade, a PSP conseguiu capturar um dos dois rapazes. O outro conseguiu fugir, talvez pelo facto do recinto estar cheio de gente, devido aos preparativos para a festa do Círio.Mas foi o que escapou que acabou por levar os elementos da brigada de investigação criminal de Tomar até aos restantes elementos do bando, apanhados mais tarde quando se preparavam para entrar no Fiat Uno roubado.Apesar da preciosa ajuda que deu à polícia, João Maia não quer protagonismo. Diz que fez apenas o que tinha a fazer como cidadão. Se a sua intervenção acabou por levar à detenção da quadrilha, “óptimo”, mas minimiza a situação. “Não sou nenhum herói”.O facto é que a quadrilha, suspeita de, desde início de Agosto, ter vindo a fazer assaltos de norte a sul do país (há registos de casos em Barcelos, Santa Maria da Feira, Ansião, Pampilhosa, Mealhada, Setúbal e em vários locais do Algarve) acabou por ser detida onde não fez nenhum assalto.No dia em que foi detido, o grupo estava a preparar mais uma “operação”, desta vez na região. De acordo com a PSP o alvo escolhido era uma ourivesaria em Caxarias, Ourém, localidade não muito longe do Agroal.Mãe, filho e padrasto, com residência em Lisboa, são o cérebro da quadrilha capturada no dia 8, tendo como ajudante um indivíduo da zona de Barcelos. Em pouco mais de um mês o grupo roubou sete automóveis, modelos já antigos, nos quais se deslocavam entre um e outro assalto.No Entroncamento foi encontrado um dos veículos alegadamente envolvido nos assaltos, com uma caçadeira de canos serrados no interior. Há também registos de que a mulher, de 37 anos, terá tentado vender algumas peças de ouro, produto de anteriores assaltos, no mercado diário da cidade.Foi do Entroncamento que os assaltantes roubaram também o Fiat Uno com que se deslocaram a Tomar, onde acabaram por furtar a velha carrinha Datsun do sogro de João Maia. Um roubo que acabou por ser providencial para a polícia.Presentes na quarta-feira a tribunal, o grupo acabou por ficar detido preventivamente. Dois dos seus elementos foram no entanto levados pela Polícia Judiciária, uma vez que estavam já referenciados em outros processos.Margarida Cabeleira

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...