uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Realismo valeu empate

Realismo valeu empate

União de Almeirim remeteu-se à defesa mas esteve a ganhar até aos 96 minutos

O União de Santarém esteve 90 minutos à procura do golo mas acabou por empatar, com alguma sorte, já aos 96 minutos. Por seu lado o União de Almeirim remeteu-se à defesa mas esteve e ganhar e podia ter feito o 2-0, que matava o jogo. O empate aceita-se mas deixa preocupações em Santarém pois a equipa, candidata ao primeiro lugar, já leva cinco pontos de atraso dos primeiros.

Edição de 22.09.2004 | Desporto
União de Santarém e União de Almeirim empataram este domingo a um golo num jogo que assinalou o regresso dos derbies entre os dois vizinhos separados pelo rio Tejo, que já não se defrontavam há três anos.Os escalabitanos dominaram o jogo praticamente de princípio a fim, mas acabou por ser um domínio inconsequente. O União de Almeirim remeteu-se a uma defensiva fechada mas esteve muito próximo de sair do Campo Chã das Padeiras com os três pontos, uma vez que marcou primeiro num lance de contra-ataque e só sofreu o golo do empate no sexto de oito minutos de desconto.O União de Santarém foi sempre a equipa que tentou chegar primeiro ao golo e, ao longo de todo o jogo, desperdiçou várias oportunidades. A primeira logo aos dois minutos, com Paulo Nuno a responder de cabeça a um cruzamento da esquerda e a fazer a bola roçar o poste da baliza almeirinense.A pressão da equipa da casa acentuou-se a meio da primeira parte e, em três minutos, entre os 20 e os 23, Pratas efectuou três boas defesas que mantiveram as suas redes invioladas. Primeiro defendeu para além da linha de fundo um remate de Paulo Ribeiro, que surgiu isolado, na sequência do pontapé de canto voltou a defender de recurso uma cabeçada de um adversário e fechou o leque de defesas com um desvio seguro de um remate forte de Pató.O jogo começou então a perder qualidade. O União de Almeirim começou a usar e abusar do anti-jogo, com a complacência do árbitro. Até final da primeira parte pouco mais de interesse se registou e as equipas regressaram aos balneários com uma igualdade a zero bolas. Era o prémio para a consistência defensiva dos visitantes, que povoaram a zona frontal à sua baliza, e o castigo para a inoperância atacante da equipa da casa, que tentou entrar quase sempre pelo meio do emaranhado de jogadores adversários.O União de Santarém entrou na segunda parte novamente a pressionar mas foi do União de Almeirim a primeira jogada de grande perigo. À passagem dos dez minutos, Júnior, o jogador almeirinense mais avançado, conseguiu isolar, fintou o guarda-redes adversário mas depois perdeu-se a ajeitar a bola e permitiu escandalosamente que a defesa da casa lhe roubasse a bola.Foi um enorme susto para a equipa da casa que respondeu com mais jogadas de perigo mas com os seus jogadores a falharem sempre no momento decisivo. Aos 59 minutos, Pimenta isolou-se frente a Pratas, mas o guarda-redes do Almeirim voltou a realizar mais uma boa defesa. Dois minutos mais tarde, Pedro Silva, que tinha entrado ao intervalo para reforçar a frente de ataque escalabitana marcou mas estava em fora de jogo.Até que, à passagem da meia hora, o guarda-redes do União de Santarém saiu ao limite da área para defender uma bola aparentemente fácil, mas inexplicavelmente, quando ainda por cima tinha a cobertura de dois defesas, permitiu que Caluxa se intrometesse e chegasse primeiro à bola, desviando-a depois para o fundo da baliza e fazendo o 1-0, efusivamente comemorado por toda a equipa.Se já defendia com todas as forças, a partir dai o Almeirim recuou ainda mais e Pratas foi dando um festival de anti-jogo que o árbitro nunca sancionou. Mas o União de Santarém tem de se queixar sobretudo de si. Aos 39 minutos Pedro Silva e Pimenta surgem isolados frente à baliza almeirinense mas acabam por roubar a bola um ao outro, para desespero dos adeptos.O golo da igualdade aconteceu quando já ninguém esperava. Estavam decorridos seis minutos de descontos quando Paulo Ribeiro, livre de marcação ao segundo poste, cabeceou para o fundo da baliza, restabelecendo alguma justiça ao marcador.O empate acaba por se aceitar, pois se é verdade que o União de Santarém foi a equipa que mais procurou a vitória, também é certo que o União de Almeirim esteve quase impecável na defesa e, além do golo que marcou, teve mais uma oportunidade que Júnior falhou escandalosamente.O trio de arbitragem esteve bem no capítulo técnico mas muito permissivo no aspecto disciplinar. Além de permitir que o anti-jogo de alguns jogadores do União de Almeirim passasse impune, a um minuto do final do tempo regulamentar, o árbitro sancionou apenas com um cartão amarelo uma agressão de Morais a Bruno Moita.
Realismo valeu empate

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...