uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

Velocidade fez a diferença

Abrantes ultrapassou o Estarreja (2-0) e está na terceira eliminatória da taça

O Abrantes Futebol clube passou à terceira eliminatória da Taça de Portugal ao bater, em casa, o Estarreja, por 2-0. A equipa de Vítor Alves dominou grande parte do jogo mas só na segunda parte desequilibrou o marcador a seu favor por intermédio de Toni e Santana.

Edição de 22.09.2004 | Desporto
A aposta de Vítor Alves em colocar na frente de ataque homens mais rápidos bateu certo e o Abrantes afastou o Estarreja da Taça de Portugal, com dois golos sem resposta. Apesar das dificuldades em abrir o marcador, Toni, Santana e Milton causaram bastantes problemas aos mais lentos defesas do Estarreja.Ainda nem 30 segundos de jogo estavam cumpridos e Milton já evidenciava essas carências, mas o guarda-redes defendeu para canto um remate à queima-roupa. O mesmo jogador voltaria a falhar o desvio para o fundo das redes após centro de Santana. O avançado era o protagonista do jogo e voltou a ultrapassar um adversário junto à linha lateral, entrou na pequena área mas Toni defendeu para canto.O Abrantes insistia no ataque e o Estarreja quase não saía do seu meio campo. Após boa jogada individual, Hamilton assistiu Santana que, num remate com o exterior do pé, obrigou o guardião a excelente defesa.Só aos 34 minutos o Estarreja chegou à área adversária com verdadeiro perigo mas o remate de Pará foi bem defendido por Vítor Bernardes. Até ao intervalo houve mais dois lances de perigo junto da baliza Toni mas as equipas não passaram do nulo.A segunda parte não conheceu novidades em termos de jogo e o Abrantes continuou a fazer as “despesas” do ataque. Na marcação de um canto, Cristiano subiu à área contrária para obrigar o guarda-redes forasteiro a espectacular defesa, quando já se cantava o golo dos anfitriões.Mas o tento não demoraria muito a chegar. À passagem do minuto 69 Milton isolou-se no corredor direito, entrou na área e centrou rasteiro. O defesa falhou a intercepção e a bola sobrou para Toni, que rematou com o pé esquerdo junto ao poste da baliza do Estarreja. O Abrantes já merecia a vantagem e o golo deu outra tranquilidade, obrigando o visitante a ir em busca do prejuízo. O Estarreja abriu o jogo e também os espaços na sua defensiva. Por isso, o 2-0 não tardou. Num contra-ataque muito rápido, após lance junto à área do Abrantes, Santana foi desmarcado no corredor central, fintou um defesa e, ao entrar na grande área, já acossado, rematou com o pé esquerdo para o lado direito de Toni, não lhe dando hipóteses.A diferença de dois golos colocava justiça no marcador e, apesar da subida do Estarreja, foi o Abrantes a poder carimbar o terceiro golo. Desmarcado por Santana, o irrequieto Toni entrou na área descaído sobre a direita, olhou para o guarda-redes e executou um primoroso chapéu que foi desviado com a ponta dos dedos pelo seu homónimo. Um lance espectacular que merecia melhor sorte.Minutos depois chegava o final da partida. Os comandados de Vítor Alves mereceram a passagem à terceira eliminatória da Taça de Portugal numa partida que dominaram, enquanto o Estarreja se mostrou um adversário pouco acutilante no ataque.Toni e Santana, foram os melhores do Abrantes, pelos golos que marcaram mas também pela rapidez que imprimiram à partida, sempre bem acompanhados por Milton. No Estarreja, foi Pará que mais tentou inverter o rumo dos acontecimentos. A equipa de arbitragem rubricou um trabalho regular.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...