uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Duas equipas à procura da vitória

Duas equipas à procura da vitória

Torres Novas travou o Rio Maior num jogo de qualidade

CD Torres Novas e UD Rio Maior disputaram no domingo um bom jogo de futebol. Com muita emoção dentro e fora das quatro linhas, com golos, e com um empate justo por aquilo que as duas equipas fizeram em campo, os adeptos das duas equipas, que acorreram em bom número ao Estádio Dr. Alves Vieira, não deram por mal empregue o tempo que ali passaram.

Edição de 29.09.2004 | Desporto
Não é todos os dias que os adeptos do futebol têm oportunidade de assistir a um jogo de tão boa qualidade como aconteceu no domingo, em Torres Novas. A partida que opôs o Desportivo local ao União de Rio Maior foi emocionante, com as duas equipas a procurarem a vitória do primeiro ao último minuto, com um único de não terem actuado a grande velocidade.Com a estratégia bem montada, a equipa do Rio Maior mostrou cedo que estava ali para vencer. E nada melhor do que entrar à procura do golo para fazer tremer o seu adversário. Logo aos seis minutos, numa jogada de envolvimento, Travassos só não marcou porque, em boa posição, atirou ao lado. O Rio Maior ganhou ainda mais confiança e os torrejanos tiveram uma ligeira tremedeira. Durante os primeiros 30 minutos foram alvo de um visível domínio dos riomaiorenses que, aos 22 minutos, voltaram a estar muito perto de marcar. Ruas, um jogador que mostrou estar em excelente forma, teve uma jogada brilhante, passou por vários adversários pela ala direita, entrou na área e colocou a bola nos pés de Pedro Fonseca que atirou forte mas a bola foi embater com estrondo na barra da baliza torrejana.O Torres Novas reagiu então de forma mais forte e o jogo ganhou algum equilíbrio. Aos 25 minutos, Roland acorreu a um cruzamento da direita e cabeceou ao lado da baliza defendida por Rogério. Contudo foi ao Rio Maior que voltaram a pertencer as melhores oportunidades, nomeadamente por Travassos, aos 27 minutos, e Amadeu, aos 29 minutos.A partir da meia hora o jogo entrou numa toada de parada e resposta. Com o Rio Maior muito bem à procura da vitória e o Torres Novas a ripostar com grande valor, o jogo, embora mais jogado no meio campo da equipa da casa, passou a contar com várias oportunidades de golo para ambos os lados. O contra-ataque da equipa torrejana, que tinha em Roland e Nando Vinagre os seus braços mais adiantados, dava “água pela barba” à defensiva do Rio Maior.Contudo, embora ainda se tivessem registado várias oportunidades de golo para ambos os lados, o marcador não se alterou. O empate que se registava ao intervalo aceitava-se mas os riomaiorenses mereciam mais. A segunda parte começou da mesma forma, com os riomaiorenses a tentarem chegar ao golo. Mas, desta vez, os comandados de Francisco Bragança rapidamente equilibraram o jogo.Contudo, quando iam decorridos 50 minutos de jogo, numa jogada brilhante de contra-ataque, conduzida por Ramalho - um excelente jogador - a bola chega aos pés de Pedro Fonseca que sozinho, já na pequena área, fez o primeiro golo do jogo. Foi então bonita de ver a reacção dos torrejanos que foram para a frente e passaram a criar grandes problemas à defensiva riomaiorense. Aos 60 minutos Gonçalves rematou de muito longe e Rogério desatento, permitiu que a bola entrasse na sua baliza. Estava feito o empate, mas mesmo assim os torrejanos não abrandaram e o jogo ganhou ainda mais emoção.Mas apesar de ambas as equipas terem criado várias oportunidades, não mais conseguiram marcar. O empate acabou por ser o resultado mais correcto de um jogo de futebol que teve fases brilhantes, e onde as duas equipas estiveram permanentemente à procura de vencer, e mostraram que estão num bom momento de forma.A equipa de arbitragem que viajou de Lisboa, teve uma actuação bastante positiva, que só não foi totalmente correcta porque, ainda na primeira parte, deixou passar em claro uma grande penalidade cometida por Rogério, que derrubou Roland dentro da área. Aceitamos que Avelino Nascimento não tenha visto mas o seu auxiliar, Miguel Borges, estava bem colocado e devia ter dado sinal ao seu chefe de equipa.
Duas equipas à procura da vitória

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...