uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
O saber não tem idade

O saber não tem idade

Universidade da Terceira Idade de Santarém quase que triplicou número de alunos

Porque não há idade para aprender, 110 alunos, todos com mais de meio século de vida, inscreveram-se este ano na Universidade da Terceira Idade de Santarém. Psicologia, língua portuguesa, saúde, direito ou artes decorativas são algumas das disciplinas.

Edição de 01.12.2004 | Cultura e Lazer
A Universidade da Terceira Idade de Santarém (UTIS), cujo segundo ano lectivo abriu oficialmente a 25 de Novembro, está de vento em popa. Este ano vão frequentar as aulas 110 estudantes, quase todos com mais de 55 anos. Mas a idade mínima é apenas uma referência, uma vez que quem tiver 50 anos e se quiser inscrever não fica de fora. Por excesso de idade também ninguém deixa de se inscrever. Para se ter uma ideia, o estudante mais velho da UTIS tem 93 anos.Os alunos podem inscrever-se numa ou em várias das cerca de duas dezenas de disciplinas, que vão da literatura e língua portuguesa ao inglês e à sociologia, passando pela ginástica correctiva, música, artes decorativas, direito, psicologia ou informática. Para leccionar todas estas disciplinas existem 41 professores, voluntários e escolhidos de acordo com o seu mérito e disponibilidadeA UTIS, um projecto da Câmara de Santarém, Santa Casa da Misericórdia e Junta de Freguesia de Marvila, funciona nos mesmos moldes da grande maioria das chamadas universidades seniores, que têm como objectivo proporcionar actualização socio-cultural aos alunos, fortalecer a sua participação social e promover o seu envelhecimento com qualidade. A cerimónia oficial de abertura do ano lectivo quase encheu o auditório do teatro Sá da Bandeira, que ficou repleto de alunos e professores. Numa intervenção sobre o tema “Ensino ou aprendizagem ao longo da vida”, João Peres, professor e vice-presidente da Escola Superior de Gestão de Santarém, defendeu que actualmente, dada a rapidez com que aparecem novos conhecimentos, é preciso estar sempre “a entrar e a sair da escola”.Em sua opinião, “o saber não ocupa idade”, e a escola não é apenas para os mais novos mas também para os trabalhadores seniores, que podem optar por várias formas de actualizar os seus conhecimentos. A vereadora da Câmara de Santarém com o pelouro da Cultura e Acção Social, Idália Moniz, referiu que a UTIS é uma forma da autarquia aplicar e desenvolver o Plano Gerontológico Municipal. Segundo explicou o objectivo desse programa é enquadrar quem deixa a vida activa mas tem direito a ter um percurso de vida com qualidade.
O saber não tem idade

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...