uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante

Manuel Serra D’Aire, seu grande valdevinos

Edição de 01.12.2004 | E-mails do outro mundo
Já um tipo não pode tirar meia dúzia de dias sem ser apelidado de baldas. Digo-te, caro confrade, que se não te respondi atempadamente foi porque estive num retiro da Serra de Aire tua homónima em aturada meditação para tentar deixar de fumar. É que com a nova lei que aí vem as coisas vão ficar negras. Se nem nos bares de alterne ou nas tascas mais esconsas se pode puxar por um cigarro como é que eu e muitos vamos fazer para manducar um pires de moelas ou afiambrar uma chavala sossegados?Será que os puritanos que se lembram de mandar cá para fora estas leis não se lembram que os fumadores também pagam impostos e têm direito a voto? Felizmente, como atenuante, têm o facto de nada estar previsto na lei sobre o fumo nas alcovas das meretrizes que inundam as páginas de classificados dos jornais a oferecer os seus serviços. Já viste o efeito que faria um anúncio do género: “Loura escaldante, universitária, glutona. Três pratos. Proibido fumar no final da refeição”. E alguém se lembrou que para além do fumo do tabaco há outros gases tão ou mais nocivos. Quando é que há leis que impeçam uma pessoa de se largar no local de trabalho, no elevador, nos transportes públicos ou nos cafés? Será necessário que o nosso compadre Fanã vá largar uma das suas bujardas em pleno conselho de ministros após deglutir uma valente feijoada para aqueles papa-açordas terem a noção do risco que o incauto cidadão corre no seu dia a dia? É bem pior que os efeitos do lixo que é diariamente descarregado nos aterros da Chamusca, mesmo com os resíduos perigosos que aí vêm incluídos. E por falar nisso, acho que está na hora do presidente Carrinho puxar dos galões e promover o concelho ao estatuto que amplamente merece.Se a Golegã é a capital do cavalo, se Santarém é a capital do grelo, perdão, do gótico, se Torres Novas é a capital das rotundas, das lombas e do presidente Rodrigues, por que não Chamusca reclamar-se como capital do lixo antes que aquela quinta nos arredores de Samora Correia se lembre do mesmo?Para já deviam contratar um assessor de imagem para tratar da promoção do concelho. Se for preciso o presidente da Câmara de Santarém pode sugerir um. Além disso, tal como a Golegã tem os cavalinhos a anunciar o território a quem o visita, na Chamusca deviam ter uma varejeira em tamanho gigante a ilustrar o título. E não pensem os chamusquenses que vinha daí mal ao mundo ou vergonha para a sua reputação. Mais vale a terra assumir-se como tal e ter o lixo no sítio certo do que ser como algumas cidade e vilas, onde a porcaria anda espalhada por toda a cidade.Por último, ilustre amigo, tenho de falar da vinda de José Sócrates a Santarém para apadrinhar a recandidatura do abnegado presidente socialista da câmara local. Até aí nada de mais. O que eu estranhei foi que Sócrates justificasse a opção com a obra feita. Será que ficou convencido com os cartazes que polvilham a cidade. Ou simplesmente quis dar nova ênfase à célebre máxima socrática: eu só sei que nada sei.Uma despedida cheia de dúvidas do Serafim das Neves

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...