uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

Luís Miguel Sirgado

“Quem não é fumador, como é o meu caso, não tem que estar a levar com o fumo das outras pessoas. Os fumadores devem evitar incomodar os outros, já que podem fumar na rua, por exemplo."

21 anos, estudante, Vila Nova da Barquinha

Edição de 08.12.2004 | Agora falo eu
Concorda com a nova lei que proíbe fumar em bares, discotecas, entre outros espaços?Quem não é fumador, que é o meu caso, não tem que estar a levar com o fumo das outras pessoas. Os fumadores devem evitar incomodar os outros, já que podem fumar na rua, por exemplo. Uma vez experimentei fumar, mas não gostei do sabor do tabaco e nunca mais peguei num cigarro. As pessoas são livres de fumar, de estragar a sua saúde, mas não têm o direito de contribuir para a degradação da saúde dos outros.A implementação de portagens na Auto-Estrada 23 (Torres Novas – Abrantes) pode ser um entrave ao desenvolvimento?Costumo utilizar essa auto-estrada, que já foi um itinerário principal (IP), e como eu há muita gente que necessita dessa via para se deslocar entre as cidades do Médio Tejo. Mas mais importante é o transporte de mercadorias que utiliza a A23 para escoar os produtos para Espanha. E, nesse caso, com as portagens, há certamente um entrave ao desenvolvimento. No entanto, não sou fundamentalista e também considero que uma pessoa que não utilize a A23 tenha que pagar pelos outros. Desde que os preços sejam razoáveis admito a introdução de portagens, salvaguardando talvez os transportes. A Internet já entrou na vida dos portugueses? Costuma utilizar este meio?A Internet é muito importante desde que bem utilizada, por exemplo para estar a par das notícias. Costumo ir a sites oficiais à procura de informação que possa utilizar em trabalhos do curso. Mas também uso o Messenger para conversar com os amigos e colegas de curso. Os sites oficiais, por exemplo de autarquias, institutos públicos… satisfazem as suas necessidades?Há muitas páginas de instituições na Internet que estão desactualizadas. Acontece muito lançarem os sites ou portais, colocarem lá a informação e depois desinteressarem-se completamente pela sua actualização. Alguns ainda devem ter textos e fotos do tempo em que entraram em funcionamento. A Internet é um potencial que não está a ser bem aproveitado e explorado por organismos públicos e privados, mas também pelo cidadão comum. Acredita que Deus existe?Nunca o vi, mas acredito que Deus existe. Sou católico praticante e acredito que há qualquer coisa que está para além do nosso mundo terreno.Sente que tem o mesmo acesso à cultura vivendo em Vila Nova da Barquinha que teria se morasse num grande centro urbano?Na chamada província o que sinto fazer muita falta é o teatro. Na nossa região há cidades que têm bons teatros, alguns recuperados recentemente, e que estão muito mal aproveitados. As autarquias não dinamizam os espaços de espectáculos, mas também não incentivam a criação de grupos teatrais que possam apresentar peças de qualidade. Por outro lado, também é raro contratarem grandes espectáculos que poderiam servir de incentivo, que poderiam despertar o interesse nos munícipes. O concelho onde reside insere-se nesse cenário?Vila Nova da Barquinha não é dos piores locais da região em termos de actividades culturais. O presidente da autarquia tem tentado dinamizar o auditório municipal com debates, exposições e diversas iniciativas. Mas isso pode ser melhorado e a oferta diversificada. As propinas são um mal necessário?O Estado não pode suportar a totalidade dos custos que representam os estudantes do ensino superior. Neste nível o ensino não é obrigatório e só vai para a universidade quem quer e por isso tem que se pagar. No entanto, reconheço que para muitos que não têm possibilidades económicas o valor das propinas é elevado. Já imaginou desempenhar um cargo político?Gosto de política, mas não gosto do papel dos políticos. É uma coisa de muita responsabilidade. Pena é que muitas das vezes não se apercebam dela. Não me vejo com qualquer cargo que envolva política, partidos…Porque é que não gosta dos políticos?São os próprios políticos que fazem com que as pessoas não acreditem naquilo que eles mais precisam, até para viver, que é a política. Fazem montes de palhaçadas. Optam pelos ataques directos aos adversários em vez de discutirem ideias e projectos. E isso não é decididamente política.Quais são os seus ídolos?Não tenho ídolos… Talvez os meus pais que têm feito o que podem por mim. Gosto de grupos musicais como Silence 4, também gosto de Pedro Abrunhosa, mas não vou ao ponto de os considerar ídolos.Era capaz de participar num festival de strip-tease?Não (risos). Não faz parte do meu feitio andar a mostrar o corpo. Também nunca vi nenhum espectáculo do género ao vivo. Sou capaz de ter visto reportagens sobre essa actividade, mas nunca tive curiosidade ou interesse em assistir a alguém a despir-se. Há espectáculos mais interessantes.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...