uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
A lógica dos Favoritos

A lógica dos Favoritos

Philip Kipokoech (CA Olhão) e Sandra Pinto (Joma) impuseram-se no Grande Prémio de Pontével
Edição de 07.12.2004 | Desporto
Philip Kipokoech (CA Olhão), em masculinos, e Sandra Pinto (Joma), em femininos, triunfaram no décimo oitavo Grande Prémio de Atletismo de Pontével, que se realizou no feriado de 1 de Dezembro nas ruas da vila do concelho do Cartaxo. A Chuva e vento não impediram uma boa presença de público a apoiar os atletas.Os quenianos Philip Kipokoech e Mose Mutai, ambos do CA Olhão, confirmaram o favoritismo na tradicional corrida de Pontével e lutaram ao segundo pela vitória. A prova masculina compreendia uma percurso de sete quilómetros e seis voltas com partida e chegada no largo Mariano de Carvalho e passagem na avenida 9 de Abril, ruas dos Combatentes, Triana, Afonso Henriques, praça Serpa Pinto, e ruas Vasco da Gama e Luís Duarte, até à linha final.Lançada a partida e com uma volta disputada um grupo de cerca de elementos seguia na frente isolado mas o equilíbrio foi sol de pouca dura. Jorge Robalo, da Constrolândia, deu o primeiro “esticão” e partiu o grupo durante a segunda volta ao traçado.Só que o aviso foi tomado a sério pelos dois quenianos que resolveram ir para a cabeça de corrida, de onde nunca mais iriam sair. A vantagem de ambos foi-se avolumando à medida que passavam na meta e estava visto que a vitória ia ser discutida a dois.Na última volta e com a subida até ao largo Marinao de Carvalho, Philip Kipokoech foi mais forte que Mose Mutai, acabando por vencer com três segundos de vantagem sobre o seu colega de equipa.Na luta para o último lugar do pódio, Jorge Robalo impôs-se, na última volta, a Daniel Santiago (Dafundo) que tinha andado grande parte da corrida à sua frente. No sector feminino a corrida não teve história tal foi a superioridade de Sandra Pinto. As quatro voltas médias ao percurso de três quilómetros foram cumpridas de forma controlada e só durante a primeiro volta a atleta do Joma “deixou” que Luzia Dias, do Sporting, comandasse a corrida.A partir de ali a atleta da azul assumiu a cabeça da prova aumentando progressivamente a sua distância até final, sem forçar demasiado o andamento, cruzando a meta isolada. Atrás a luta era entre Luzia Dias e Dina Malheiro (Ferreira Zêzere), mas acabou por ser a ribatejana a conquistar o segundo lugar do pódio. Em terceiro chegaria Ana Catarina (?).Vencedora da edição de 2003 do Grande Prémio de Pontével, Sandra Pinto defendeu bem o título conquistado. Em declarações a O MIRANTE, a atleta considerou o percurso acessível e admitiu que não sentiu grandes dificuldades em obter o triunfo. “O pior foi o frio e a chuva. Mantive-se calma na primeira volta para fazer algum reconhecimento das adversárias e ataquei para ganhar com alguma calma”, referiu.Em termos pessoais, Sandra Pinto aposta em ficar entre as dez primeiras nos Campeonatos Nacionais de Corta-Mato e melhorar as suas marcas em pista, mas promete regressar a Pontével nos próximos anos para continuar a somar mais vitórias. No capítulo masculino, a vitória sorriu a um queniano, mas Jorge Robalo considerou que ao africanos não eram imbatíveis. “Senti-me bem e nas primeiras voltas andei aos esticões. Paguei um pouco o andamento mais vivo, resguardei-me e na volta final consegui apanhar o terceiro classificado”, manifestou satisfeito.Na primeira corrida disputada em Pontével, Jorge Robalo dedicou o resultado à equipa da Constrolândia, sediada na região. Quanto ao vencedor, Philip Kipokoech, não falando português nem outra língua mais internacional, não foi possível ouvir a sua opinião.
A lógica dos Favoritos

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...