uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Ricardo Silva

Ricardo Silva

“È mau andar a alimentar animais errantes, especialmente cães que formam matilhas em Santarém e se tornam agressivos. Mas, por outro lado, as pessoas têm pena dos animais e os canis estão lotados”

24 anos, trabalhador-estudante, Santarém

Edição de 22.12.2004 | Agora falo eu
Porque é que existem tantos acidentes de trabalho em Portugal?Se calhar a entidade patronal tem grande culpa nisso, porque não aposta na segurança. Na loja onde trabalho existem regras até para subir a escadotes. Mas se calhar os portugueses facilitam um bocado. Quando a exigência é maior se calhar faz-se tudo em cima do joelho.O Natal é época para engordar à custa de doces e fritos?Comigo não há dúvidas! Não resisto aos doces e o próprio espírito da época também leva ao convívio com os amigos e com a família e abusa-se um bocadinho. Há alguma coisa de que não goste?Detesto fritos! As rabanadas e outros da família não me dizem nada, até por questões de saúde. Poupo-me por um lado com os fritos, mas estrago-me com os doces.Tem andado muito atarefado com a compra de prendas de Natal?Tem-me passado um pouco ao lado. Não tenho tido tempo para essas coisas e é do trabalho para a escola e vice-versa. Vejo as pessoas a comprar para esta época, mas compro o essencial, para os parentes mais próximo e para a namorada. Também o dinheiro anda curto. E já está a pensar na passagem de ano? Já, mas este ano vou fazer o contrário do que é costume. Este ano vou passar o Natal e o Ano Novo com a família e vai dar sempre ao mesmo. Dizem que a retoma vem em 2005, vou esperar para ver.Pede sempre um desejo para o ano novo?Ter saúde é o mais importante. Se vier dinheiro, mais um pouco, que venha por bem, mas saúde é o principal. Já imaginou como irá ser um ano com tantas eleições?Isto está a bater no fundo e vai ficar parado. Se um investidor quer vir para Portugal e vê que não há estabilidade, que o governo não funciona bem, nada é seguro.Como é que se põe o país a andar?Se o Presidente da República é socialista e o governo do PSD, cada um puxa para um lado e há equilíbrio. Agora se é tudo da mesma cor política é o “fim do mundo”.Tem medo das radiações emitidas por computadores portáteis, telemóveis e outros aparelhos?Não ligo nada a isso. Frequento o curso de Informática de Gestão e lido com esses aparelhos. Por enquanto ainda não houve sinais negativos.Acha que a tolerância zero vai valer de alguma coisa neste período festivo?Vale e até já senti isso na pele com uma valente multa. Por causa disso já levanto o pé, porque os portugueses são uns campeões na estrada.Gosta de pisar no acelerador?Sim, mas acho que as autoridades deviam continuar a apostar na prevenção, mas também aumentar o valor da multa sem aumentar a gravidade da contra-ordenação. Porque o sentido da multa não toca aos portugueses tanto como acontece na carteira. E pode-se facilitar um pouco a vida aos condutores profissionais que, em certas ocasiões, têm que abusar mais, e podem ficar sem a carta de condução.Acha que o ensino superior produz muitos profissionais pouco preparados?Enquanto se insistir no ensino da teoria em detrimento da prática, os licenciados vão ter dificuldades. Porque só se aprende a sério a trabalhar. Na informática não se aprende em frente ao computador de livro aberto. A guerra no Iraque tem fim à vista?Agora vai decorrer o processo eleitoral, mas o cenário está negro, com tantas explosões que vão acontecendo diariamente. Concorda que quem dá comida aos animais errantes seja multado?A questão tem duas vertentes. É mau andar a alimentar animais errantes, especialmente cães que formam matilhas em Santarém e se tornam agressivos. Mas, por outro lado, as pessoas têm pena dos animais e os canis estão lotados. Qual era a zona do país onde gostaria de viver?Vou fazer 25 anos e estou a sentir mais o peso de alguma responsabilidade. Ganho o meu dinheiro e já não dependo tanto dos pais. Sou de Odivelas, mas estou a pensar ficar por Santarém, comprar casa, ou então apostar no norte em termos profissionais, que é bastante mais activo.O bacalhau faz parte da sua consoada?Já é tradição e não há outra hipótese. Eu gosto muito de bacalhau e, se for assado no forno com batatas a murro, ainda melhor. Nem sempre fazemos bacalhau com couves e batatas. Nesse capítulo variamos um pouco.Acredita na seriedade da publicidade que passa nas televisões? Acredito, mas nas cadeiras de marketing e publicidade explicam-nos que há muita maneira de iludir o espectador/consumidor. Nesse capítulo sou mais susceptível aos apelos do mundo dos computadores, da roupa, etc...É a favor do casamento ou prefere outras soluções?A minha mãe sempre me disse que vou casar tarde. Para já não quero casar e a situação económica não é a mais favorável. Apesar dos apelos da minha namorada, acho que me vou ficar por uma união de facto.Ir ao shopping e ao hipermercado é o passatempo preferido dos portugueses?São superfícies que atraem as pessoas para um lugar que possui grande variedade e comodidade. No fundo, as pessoas dizem que vão sair mas voltam a meter-se dentro de quatro paredes. Quando quero passear meto-me no carro e o caminho é para a frente, como já fiz desde o Algarve até Santarém, sempre pela orla costeira.
Ricardo Silva

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...