uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

Nersant esclarece empresas sobre apoios financeiros à inovação

Núcleos do Cartaxo e de Santarém receberam terceira sessão
Edição de 22.12.2004 | Economia
Realizou-se no dia 13 de Dezembro, mais um seminário sobre o VI Programa Quadro de Investigação e Desenvolvimento Tecnológico da União Europeia, o principal instrumento de financiamento para a Inovação & Desenvolvimento (I&D) na Europa.A sessão, que decorreu no auditório da Quinta das Pratas, foi organizada conjuntamente pelos núcleos do Cartaxo e de Santarém, e insere-se num conjunto de seminários que a Nersant está a promover no âmbito do projecto INNOCOOP - Inovar Cooperando, um projecto europeu, do qual a Nersant faz parte, e que tem como objectivo estratégico a criação de uma rede transregional de fomento da inovação tecnológica através da cooperação entre empresas e outros organismos do Sistema Científico e Tecnológico das regiões envolvidas.Na concretização desse objectivo, uma das áreas em que o projecto pretende operar é precisamente na estimulação e apoio da apresentação de candidaturas a programas de apoio a actividades de Inovação e I&D, como é o caso do VI Programa Quadro.A convite da Nersant, esteve presente a Drª Margarida Garrido, do Grices – Gabinete de Relações Internacionais da Ciência e do Ensino Superior, que se ocupou dos esclarecimentos referentes especificamente ao VI Programa Quadro, numa vertente de participação das PME.Nesse sentido, esclareceu que “não se vai a um projecto comunitário para ganhar dinheiro, mas para resolver necessidades concretas comuns a um conjunto de empresas”, nomeadamente através do desenvolvimento de novos processos ou novos produtos.Proposto pela Comissão Europeia e adoptado pelo Conselho e Parlamento Europeu, o VI Programa Quadro surge da consciência de que o crescimento económico depende cada vez mais da investigação e muitos dos desafios presentes e futuros para a indústria e para a sociedade já não podem ser resolvidos apenas a nível nacional. A grande vantagem da participação neste programa advém, aliás, do envolvimento em projectos de dimensão europeia e acesso a redes de conhecimento de âmbito alargado.O VI Programa Quadro, como salientou a Drª Margarida Garrido, não se destina apenas a Centros de Investigação e Universidades. As empresas, nomeadamente as PME têm igualmente a possibilidade de participar, estando previsto ser-lhe afectadas cerca de 15% do total das verbas previstas para o Programa. As PME, para além de poderem participar como parceiros nos projectos de maior dimensão, são também objecto das designadas Medidas Específicas para as PME, das quais se destacam os projectos CRAFT e Projectos de Investigação Colectiva.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...