uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Vila Franca vai investir mais

Vila Franca vai investir mais

Assembleia Municipal aprovou grandes opções para 2005

Em ano de crise e quebra de receitas, o orçamento municipal de Vila Franca de Xira cresceu e ultrapassa os 80 milhões de euros. A oposição fala em eleitoralismo e a maioria diz que quer cumprir o programa. O PSD votou contra e a CDU absteve-se.

Edição de 22.12.2004 | Política
Só o PSD votou contra o Orçamento e as Grandes Opções do Plano para o novo ano em Vila Franca de Xira. Na Assembleia Municipal realizada na quinta-feira, 16 de Dezembro, a CDU absteve-se nos dois documentos e os votos da maioria socialista viabilizaram os documentos que seguem agora para análise do Tribunal de Contas.O orçamento para 2005 é de 80 milhões de euros (16 milhões de contos) e representa uma subida em relação ao ano anterior, sendo o maior de sempre na história do município.A bancada do PSD justificou o seu voto contra com o facto de não haver ligação entre as Grandes Opções e o Plano Estratégico Concelhio em fase de apresentação pública. Vítor Silva criticou a falta de aproveitamento das potencialidades do município e a ausência de estratégia para promover o desenvolvimento económico do concelho.Carlos Braga da CDU disse que os documentos reflectem o atraso no cumprimento de promessa feitas no início do mandato. O autarca deu como exemplos a ausência de tratamento dos esgotos e a falta de equipamentos para a prática desportiva e comparou o concelho de Vila Franca com o de Benavente (de maioria CDU) que tem seis campos relvados ou sintéticos enquanto Vila Franca (um município com 11 freguesias e 123 mil habitantes) tem apenas quatro. O seu colega de bancada, Carlos Coutinho sublinhou que o PS aproveitou muitas das propostas da CDU. Já Nuno Libório fez o trabalho de casa para dar nota negativa à política cultural da câmara e lamentar o fim de algumas iniciativas que estavam enraizadas. Carlos Lilaia do PS, negou que seja um orçamento eleitoralista e elogiou os documentos apresentados. O autarca frisou que apesar da quebra de 33 por cento das receitas de capital, o orçamento subiu em relação ao ano em curso. O eleito do PS aplaudiu a postura de diálogo com a oposição. “Quem tinha ideias apresentou propostas, quem não tinha ficou a ver passar os comboios”, disse numa clara provocação ao PSD que não reagiu.O presidente da Junta de Freguesia de Vila Franca de Xira, José Fidalgo (PS) disse estar orgulhoso pelas propostas apresentadas pela maioria. “Todos os dias gosto mais de ser autarca”, referiu.Segundo o autarca, “as colectividades deixaram de ir comer à mãozinha e são parceiros da câmara”.A presidente da câmara desvalorizou as críticas da oposição que considerou um ritual. A autarca explicou que o orçamento foi condicionado pela situação do país e pelas regras do Plano Oficial de Contabilidade da Administração Local (POCAL). Maria da Luz Rosinha considerou que a revisão do PDM em curso será fundamental para atrair novos investidores ao concelho e promover o seu desenvolvimento económico.A edil frisou ainda a preocupação de poupar, reflectida nos gastos com pessoal que ficam pelos 31 por cento do valor do orçamento, metade do permitido por lei. O orçamento e o plano de acção dos Serviços Municipalizados de Águas e Saneamento também foram. Aprovados. Registaram-se votos a favor do PS e da CDU e a abstenção do PSD.
Vila Franca vai investir mais

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...