uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante

Correr atrás de um sonho de infância

Danny Silva, um português a participar no Campeonato do Mundo de Esqui

Portugal vai ter um atleta no Campeonato do Mundo de Esqui, que se vai realizar em Fevereiro de 2005, em Oberstdorf, na Alemanha. Danny Silva, um português nascido há 31 anos nos Estados Unidos e actualmente a viver em Almeirim, já está a treinar para fazer um bom mundial e apurar-se para os Jogos Olímpicos de Inverno, em 2006.

Edição de 29.12.2004 | Desporto
Com 31 anos, Danny Silva, um português nascido nos Estados Unidos da América e actualmente a residir em Almeirim, corre atrás de um sonho que o acompanha desde os cinco anos de idade: participar nos Jogos Olímpicos de Inverno, na modalidade de esqui nórdico.É o único atleta português a praticar a modalidade ao mais alto nível, e depois de participar em várias provas em Espanha, conseguiu os mínimos para representar Portugal no Campeonato do Mundo de Esqui, que se vai realizar em Fevereiro de 2005, em Oberstdorf, Alemanha.Danny Silva é um aventureiro nato. Filho de pais portugueses, nasceu no estado de New Jersey, nos Estados Unidos da América (EUA). Aos 15 anos, por influência dos seus progenitores, resolveu vir para Portugal, para junto de alguns familiares. Pelo caminho ficaram dez anos de prática de esqui na escola da cidade onde vivia, e a prática da modalidade já a um nível bastante elevado. “Participei com algum êxito em provas na América, e lutei sempre pelos lugares cimeiros”, refere Danny Silva ao nosso jornal.Depois da vinda para Portugal, colocou a modalidade completamente de parte durante alguns anos. Em Portugal não há possibilidades de praticar a modalidade, nem na Serra da Estrela, único local onde ainda é possível esquiar. Contudo, agora, depois de mais algumas aventuras em Espanha, Bélgica e França, o esquiador está já a treinar para participar no mundial de esqui.Não podendo sobreviver da modalidade, Danny Silva é professor de língua inglesa. Durante algum tempo dedicou-se ao atletismo e mais recentemente ao triatlo, sempre para ganhar endurance, sem nunca perder de vista o seu grande sonho de participar nos Jogos Olímpicos de Inverno.“Percorri muitas centenas de quilómetros em estradas secundárias aqui da zona, com esquis adaptados com rodas, ao mesmo tempo que praticava triatlo”, afirma. Entretanto, numa das suas escapadelas até aos Pirinéus, conheceu uma jovem belga também ela amante do esqui, conviveram e resolveram “juntar os trapinhos”.Viveram então durante quatro anos na Bélgica e aí voltou de novo - e mais forte - a paixão pelo esqui nórdico. Danny participou então em várias provas em Espanha e França. Sempre a expensas próprias filiou-se na Federação Portuguesa de Esqui e através dela na Federação Internacional de Esqui. Aí deu um passo importante para concretizar o seu sonho. Para já conseguiu os pontos suficientes para participar no Campeonato do Mundo e conseguiu ver o seu trabalho reconhecido pela Federação portuguesa.Mas a vivência do seu sonho não tem sido fácil. Todo o equipamento, toda preparação, todas as deslocações e estadias correm por sua conta. “Mas o entusiasmo não nos falta a mim e à minha mulher. Sempre que podemos aí vamos nós até aos Pirinéus para treinar. Tem sido muito difícil, mas a alegria é maior quando vamos conseguindo ultrapassar etapas que às vezes pensamos impossíveis”, diz com alegria.Organizado e disposto a ir longe no Campeonato do Mundo, Danny estabeleceu um projecto de preparação e competição que o vai levar a participar em várias provas, que incluem a Taça da Europa e o Campeonato do Mundo, para conseguir os mínimos para participar nos Jogos Olímpicos de Inverno de Turino, em 2006. Procurou apoios, a Federação deu-lhe o mínimo que foi o equipamento de Portugal, mas a receptividade das empresas a quem apresentou o projecto “tem sido muito fraca”.Por isso, Danny Silva vai ser um atleta solitário, quer nos estágios que vai fazer, quer depois nas provas que vai realizar. Contudo sente-se bem física e mentalmente, e tem já alguns amigos de outras nacionalidades com quem vai aproveitar para treinar. “O problema maior é o tratamento do equipamento, porque desta vez nem a minha esposa me pode acompanhar, porque vai ser um mês de estadia e não temos dinheiro para lá estarmos os dois”.Uma coisa garante: ninguém tem mais entusiasmo e vontade de representar bem Portugal como o Danny Silva. “Em ambição, entusiasmo e força de vontade ninguém me ganha. Quero voltar para junto da minha família e dos meus amigos com o sentido do dever cumprido, e com a certeza de trazer os pontos suficientes para estar presente nos Jogos Olímpicos de Inverno de 2006, em Turino”, diz.Mesmo que tudo corra como o atleta espera, não deixará de ser uma surpresa ver um representante de Portugal, um país onde quase não há neve, a participar em provas do mais alto nível mundial, e também a forma entusiasmante como corre atrás de um sonho de infância.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...