uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
PSD deu uma ajuda apesar das críticas

PSD deu uma ajuda apesar das críticas

Plano e orçamento da Câmara de Coruche para 2005 foram aprovados

A oposição diz que o plano de actividade e o orçamento da Câmara de Coruche são um plágio de anos anteriores. Mas na hora da decisão os eleitos do PSD viabilizaram as propostas socialistas pela abstenção.

Edição de 29.12.2004 | Política
O orçamento e Plano Plurianual de Investimentos (PPI) da Câmara de Coruche para 2005 foram aprovados em sessão de assembleia municipal exclusivamente com os 13 votos do PS. O PSD absteve-se e viabilizou os documentos que mereceram o voto contra da bancada da CDU. O presidente da câmara, Dionísio Mendes (PS), diz que o orçamento é sinónimo de investimento, crescendo 1,84 por cento face a 2004. Segundo o autarca, as despesas de investimento sobem 22 por cento, registando-se ainda um aumento das receitas de capital, especialmente através de instrumentos comunitários como o Fundo Europeu de Orientação e Garantia Agrícola (FEOGA). Em contraponto, regista-se uma quebra generalizada das receitas provenientes de impostos, tais como o IMI (menos 11 por cento), Imposto Automóvel (menos quatro por cento), derrama (menos nove por cento) e Sisa (menos dois por cento). Os protocolos com as juntas de freguesias são alvo de uma actualização de 2,5 por cento.Para o grupo do PSD, a maioria camarária não cumpriu as promessas anunciadas ao longo de três anos. Francisco Gaspar recordou processos como o do estádio municipal, do emissário para a vila de Coruche, o novo quartel dos bombeiros e a central de camionagem, entre outras obras, para sustentar que “nada é realidade”.Na mesma linha crítica, a CDU acusou o executivo municipal de plagiar as promessas eleitorais de 2002, dando a ilusão de ter obra no concelho. “Há uma total ausência de rigor e obras como os loteamentos municipais da Erra, Couço e Biscainho já constam do PPI de 2003”, exemplificou Armando Rodrigues.Projectos que, segundo os comunistas, juntamente com os da nova estação de camionagem, quartel dos bombeiros, biblioteca municipal e construção de um pavilhão multiusos, se têm arrastado no plano das intenções e não no terreno.Rebatendo os argumentos da oposição, Dionísio Mendes recordou que metade das propostas apresentadas pelos comunistas consta do PPI de 2005 e que se mantêm apostas como a construção de uma creche e jardim-de-infância em Azervadinha, a construção do estádio municipal, da sede do grupo Desportivo “O Coruchense”, ou ainda a intervenção na rede viá-ria do concelho, entre outras propostas do orçamento para 2005.
PSD deu uma ajuda apesar das críticas

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...