uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

“A melhor prenda de Natal foi a manutenção de todo o grupo de trabalho”

Gisvi e William reforçaram o plantel às ordens de Paulo Torres, no Fátima

Paulo Torres chegou a Fátima, viu e venceu. Depois de colocar um final precoce na sua carreira de futebolista, que o levou, entre outras coisas a sagrar-se campeão do mundo de juniores, ao lado de Figo, Rui Costa e Fernando Couto, entre outros, o lateral esquerdo de pé canhão começa agora a destacar-se como treinador. Depois de uma excelente época em Peniche, está agora dar cartas em Fátima, mantendo o clube na luta pelo primeiro lugar.

Edição de 12.01.2005 | Desporto
A direcção do Centro Desportivo de Fátima presenteou o treinador Paulo Torres com a aquisição de mais dois jogadores para reforçar o grupo de trabalho, que tão bem se tem comportado no Campeonato Nacional da Segunda Divisão B. Os jogadores em questão são Gisvi, que depois do fim da equipa B do Sporting, onde actuava, foi para o Lousada, e a agora a meio da época optou por vir para o Fátima, e William, um jovem brasileiro cedido pela Académica de Coimbra.Paulo Torres diz que estes dois jovens foram contratados para lhe dar mais consistência e opções, mas garante que a verdadeira prenda de Natal que a direcção lhe deu foi a manutenção e continuidade de todos os jogadores que estão à sua disposição desde o início da época.A vinda de Paulo Torres para o Fátima, depois de ter feito um excelente trabalho no Peniche, foi ponderada pelas duas partes com alguma antecedência, e durante três meses o treinador foi vendo jogadores, fez anotações, e, em conjunto com a direcção, que entretanto tinha decidido efectuar uma reestruturação profunda no plantel, conseguiu reunir um grupo de jogadores que se identificam claramente com o sistema semi-amador. A maior parte dos jogadores tem o seu emprego extra futebol.Essas condicionantes dificultaram de algum modo a formação do plantel, porque as viagens após um dia de trabalho obrigaram à criação de uma boa estrutura, que atenuasse essas dificuldades. Para Paulo Torres essa estrutura tem funcionado muito bem, em conjunto com a grande disponibilidade de trabalho, o espírito de entreajuda e a amizade que os jogadores demonstraram desde o início dos trabalhos. O que levou a que rapidamente assimilassem o tipo de jogo que se pretendia implementar e formassem uma verdadeira equipa.Paulo Torres afirma que os grandes responsáveis pelo excelente campeonato que a equipa está a fazer, mantendo-se na luta pelo primeiro lugar, desde o início do campeonato, são os jogadores e a direcção, pela estabilidade de trabalho que lhe deram. Mas da parte dos dirigentes do clube a cota parte do treinador tem sido muito importante, e como existe uma filosofia de futuro na organização do clube, já fizeram o convite de renovação do vínculo ao treinador e ao seu adjunto. “Situação que estou a estudar e que naturalmente vou aceitar”, garantiu o treinador.Os objectivos com que o Fátima partiu para o campeonato eram de garantir a manutenção o mais cedo possível, contudo e face aos excelentes resultados alcançados, este objectivo já foi revisto e agora a luta vai ser para o primeiro lugar, onde, não fora algumas arbitragens menos felizes, a equipa “estaria neste momento, sem qualquer favor”, considera Paulo Torres.Mas o treinador mantém-se calmo e modesto. Pretende sobretudo manter a unidade no grupo de trabalho e, com a integração dos dois novos jogadores, lutar pelo melhor lugar possível. “O que realmente pretendemos é criar uma estrutura de futuro no clube. Estamos a trabalhar em conjunto com o futebol juvenil, reunimos regularmente para definir as formas de trabalho e de jogo que se pretendem criar no clube para que com o Paulo Torres ou com outro treinador que venha haja sempre um trabalho de continuidade e de estabilidade. Não vivemos obcecados pelo primeiro lugar”, explica.A confiança do treinador do Fátima em relação ao desempenho da equipa na segunda volta do campeonato advém do facto de ter garantias de em relação à primeira volta, ainda ter uma larga margem de progressão, quer no capítulo físico, quer no mental, e nos níveis de trabalho. “É isso que me deixa satisfeito e me motiva e me torna um pouco mais ambicioso quanto ao futuro”.Para o seu actual treinador, o Fátima está no bom caminho para ser um clube de maior dimensão no futuro. “Tem uma boa organização, cada um sabe o seu lugar dentro do conjunto que forma o clube e isso é muito importante para que o clube seja cada vez mais forte”. A ligação entre os departamentos de futebol sénior e juvenil é outra das grandes oportunidades de crescimento do Fátima. Situação que já está a dar frutos. Dois jogadores juniores - Vick e Cláudio - já estão a treinar com os seniores.Também o melhoramento de infra-estruturas, como a construção do novo estádio, que possivelmente vai estar pronto para ser utilizado na próxima época, é bastante importante para consolidar o projecto. Paulo Torres não esquece o secretário técnico, Luís Albuquerque, que considera “uma pessoa com uma sensibilidade excepcional para o lugar”.A carreira da equipa tem conseguido trazer mais gente ao estádio, mas Paulo Torres precisa que as pessoas acreditem mais, e a todos os níveis: dos adeptos aos dirigentes e até da própria associação. “O distrito de Santarém tem muitas potencialidades. Tenho visto muitos jogos, mesmo de nível distrital, e não tenho dúvidas de que as pessoas gostam de futebol”, refere.As ambições de Paulo Torres como treinador não se ficam pela segunda divisão B. A carreira que vem fazendo, primeiro no Peniche e agora no Fátima, estão a tornar as suas opções de trabalho mais visíveis. A forma como as suas equipas actuam dentro do campo e a forma como gere o grupo de trabalho estão a mostrar um treinador com futuro, e por isso cobiçado a outros níveis.Contudo, o treinador garante que neste momento a sua grande ambição é trabalhar no futuro do Fátima. “Quero que quando acabar o meu ciclo aqui no Fátima, as pessoas digam que o Paulo Torres deixou aqui um bom trabalho. Não escondo que tenho outras ambições, mas não quero subir a qualquer preço. Quando as coisas acontecerem espero que aconteçam com segurança”.A finalizar a conversa com O MIRANTE, Paulo Torres quis deixar uma palavra de estímulo para os clubes do distrito de Santarém, destacando o trabalho que está a ser feito no Abrantes, que, em sua opinião, tem em Vítor Alves um excelente treinador. E também nas escolas de futebol juvenil do CADE e do Benfica de Abrantes, garantindo que “o futuro do futebol do distrito de Santarém está precisamente no aproveitamento do futebol jovem”.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...