uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

“Enquanto o futebol andar com esta corrupção, nós não vamos a lado nenhum”

Treinador do Torres Novas fala em arbitragem encomendada
Edição de 12.01.2005 | Desporto
Com todas as incidências que se passaram no derbie, o estado de espírito dos treinadores, no final do jogo, era completamente oposto. Francisco Bragança, manifestamente irritado com a equipa de arbitragem, fez uma curta, mas polémica, declaração. “Mais uma vez temos uma arbitragem encomendada para as equipas de Leiria. Prejudicaram hoje o Torres Novas, porque já estávamos a incomodar. Enquanto o futebol andar com esta corrupção, nós não vamos a lado nenhum”, disse visivelmente enervado o treinador do Torres Novas.Por sua vez, o treinador do Riachense, João Henriques, não escondia a satisfação que lhe ia na alma. A sua equipa que já tinha terminado bem o ano de 2004, com uma vitória em Vieira de Leiria. Entrou melhor ainda em 2005, com uma goleada no derbie do concelho de Torres Novas.“Foi um jogo atípico. O Torres Novas entrou melhor no jogo, nós não conseguimos colocar em campo o que tínhamos trabalhado durante as duas semanas que antecederam o jogo, e a vantagem do Torres Novas ao intervalo até era justa”, afirmou João Henriques, que no descanso rectificou algumas coisas e colocou em campo jogadores mais rápidos para explorar o facto dos centrais torrejanos já terem visto o cartão amarelo, a táctica que resultou em cheio.Aceitando que foi mais fácil jogar contra uma equipa reduzida a nove jogadores, João Henriques considerou que a vitória da sua equipa acabou por ser justa. E embora aceitando que houve algum exagero do árbitro na amostragem dos cartões, disse que na sua opinião, as expulsões foram justas e que esta vitória foi extremamente motivante para o futuro da sua equipa.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...