uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

Pimenta a mais para Mação a menos

Ex-líderes perderam 1-0 em Santarém e foram ultrapassados pelo Ouriquense

A União de Santarém realizou este domingo, provavelmente, a sua melhor exibição na presente época. Frente ao líder do campeonato, os unionistas, sob a batuta de Pimenta, dominaram de princípio a fim e o resultado final só peca por escasso. O Mação deu uma pálida imagem do seu valor, raramente criou perigo e perdeu o comando do campeonato para o Ouriquense.

Edição de 19.01.2005 | Desporto
Ao fim de onze jogos consecutivos sem perder o Mação foi finalmente derrotado. A autora da proeza foi a União de Santarém, que, desta forma, colocou ponto final numa série de três meses e meio sem derrotas da equipa maçaense, que na última jornada tinha ascendido ao comando isolado do Campeonato Distrital da Primeira Divisão da Associação de Futebol de Santarém.O Mação entrou com perigo e, logo no primeiro minuto, na mesma jogada, os seus avançados tiveram duas oportunidades para bater Sérgio. O guarda-redes do União, muito seguro durante todo o jogo, acabou por resolver o problema defendendo para canto.Mas este foi apenas um pequeno fogacho do Mação. A partir dai os jogadores da União de Santarém meteram o pé no acelerador e, aos seis minutos, Mário Nelson respondeu com um remate de fora da área que passou a rasar o poste.Ao quarto de hora, na sequência de um canto, Ganhão, de cabeça, deu o mesmo destino à bola, falhando o golo por muito pouco. Pimenta não lhe ficou atrás. Numa brilhante jogada individual, o avançado unionista deixou para trás quatro adversários e rematou ao lado da baliza de Rui Forte. Em dez minutos, a União desperdiçou três boas oportunidades.Os visitantes só voltaram a mostrar que estavam em campo aos 30 minutos. Gonçalo Francisco tirou o chapéu a Sérgio e foi Paulo Nuno a salvar quase sobre a linha de golo. Antes do jogo ir para o descanso Pimenta voltou a ter o golo nos pés. Desmarcado por um cruzamento de Artur, rematou de primeira ao lado.O único golo do jogo aconteceu logo após o reatamento do jogo. Aos três minutos da segunda parte, num livre directo à entrada da área, o lateral esquerdo Artur, que fez uma excelente exibição quer a defender, quer a atacar, atirou uma “bomba”, que Rui Forte não conseguiu defender. Fez-se justiça, pois a equipa da casa já merecia estar na frente.Quando se esperava a reacção do Mação, foi a União de Santarém que voltou a estar mais perto de marcar. Pimenta, o melhor jogador em campo, encheu o pé, mas Rui Forte fez a defesa da tarde, enviando a bola para canto.A dez minutos do fim, Pimenta abriu novamente o livro. Foi à linha, cruzou para a zona central da pequena área onde Paulo Ribeiro apareceu meio segundo atrasado para fazer o desvio fatal. Rui Forte estava batido.No quinto dos seis minutos de desconto dados pelo árbitro da partida, Pedro Silva ultrapassou a defesa do Mação, mas rematou fora do alvo.A vitória da União de Santarém foi justa, surpreendendo apenas a falta de reacção da equipa de Mação, que pareceu ausente do jogo. E a ausência de Zeca, um dos jogadores mais influentes do plantel, não justifica tudo.O trio de arbitragem cometeu vários erros, nomeadamente o árbitro, Ricardo Ribeiro que pareceu sempre mais preocupado em mostrar que era ele que mandava do que em seguir os lances de perto. Os jogadores podiam até ter uma entrada mais dura sobre um adversário, não podiam era sequer contestar uma decisão sua. Os jogadores não devem contestar a autoridade do árbitro mas, como diz o povo, nem tanto ao mar nem tanto à terra.Vitória incontestadaNo final do jogo, com os jogadores a comemorarem efusivamente no balneário, o treinador do União de Santarém, Manuel Francisco considerou a vitória da sua equipa como o resultado mais justo, só pecando por escasso. “Tivemos sempre mais posse de bola, fomos mais ofensivos e criámos mais oportunidades de golo. 1-0 até é curto para as oportunidades que tivemos”, disse.“Temos feito bons jogos mas temos tido alguma falta de sorte. No domingo podíamos perfeitamente ter ganho ao Ouriquense. Mas é com este espírito que temos de encarar todos os jogos e os jogadores estão mentalizados para isso. Falta meio campeonato e temos uma volta completa para chegar aos nossos objectivos”, acrescentou o técnico, que espera mais uma partida muito complicada no domingo, em casa, frente ao Amiense, outro dos candidatos à vitória.Do lado do Mação, o treinador-jogador Mazo reconheceu o domínio do adversário, sobretudo na segunda parte. “A primeira parte foi repartida pelas duas equipas e podia haver mais golos. Na segunda caímos muito e com o golo do União de Santarém ressentimo-nos bastante”, resumiu.Embora admitindo que a ausência de Zeca afectou a equipa, Mazo diz que o grupo tem de primar pela qualidade do seu colectivo e reconhece que isso falhou desta vez. Espera no entanto que na próxima jornada, a equipa volte ao nível das últimas jornadas, num jogo que sabe será “muito complicado”.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...